A atitude suspeita da Globo de tentar transformar o terrorista num “louco”, um “lobo solitário”

Nenhum néscio viaja tanto, tem tantos contatos, celulares, computadores; nem frequenta estandes privados de tiro.

E ninguém que queira se passar por insano faz um depoimento tão articulado em bases defensivas nitidamente pré-orientado, e tem uma defesa tão bem articulada executada por profissionais com tanta prontidão e habilidade.

Tudo envolto em nebulosas e evasivas declarações.

Segundo seu depoimento, a sua “missão” era “suicida”. Mas intuo que havia um plano “B” que foi acionado imediatamente após sua prisão, tudo conforme “planejado”.

A tentativa da Globo de adotar – a partir deste domingo (9), no Fantástico – uma linha editorial que induz a certeza de que se trata de um louco é muito suspeita.

Não creio que seja doido, nem lobo solitário.

Tenho um pressentimento instintivo que foi um ato milimetricamente planejado. Em equipe. E se está capitulado na Lei de Segurança Nacional, a competência investigatória é concorrente da ABIN em colaboração com a Polícia Federal, já que se trata de crime de Estado, como incontroverso.

A ABIN é o órgão central do Sistema Brasileiro de Inteligência (SISBIN), que tem como objetivo planejar, executar, coordenar, supervisionar e controlar a atividade de Inteligência do país.

Dentro das competências da ABIN está identificar e avaliar as ameaças, internas e externas, à ordem Constitucional.

Será o caso? Desde o ocorrido, e cada vez mais, tenho a sensação e suspeito que tenha caroço nesse angu.

Todos os fatos devem vir a público!

É um Direito da Nação!

 

Fonte: Jornal da Cidade Online

     

Gostou? Compartilhe!

  • 2.9K
    Shares