A munição do homem-bomba. Palocci só falou 10% do que sabe sobre os podres de Lula

Será retomada nos próximos dias a negociação da delação premiada de Antonio Palocci, em Curitiba e em Brasília. As conversas tiveram um freio nas últimas semanas por causa da troca de guarda na PGR.

Quem já viu os anexos entregues (entre 40 e 50) garante que Palocci não ficou “só no gogó”. Foi apresentado também o que os procuradores chamam de “elementos probatórios”. Por exemplo, os contratos que diversas empresas de grande porte fecharam com a Projeto, consultoria de Palocci.

Sobre Lula, o que pode se garantir é: o que saiu até agora é algo como 10% do que ainda vem por aí. (Lauro Jardim)(Cesar Weis)