A portas fechadas, PT se cala diante de carta de Lula e sinal de Toffoli

Partido dos Trabalhadores se reúne para definir estratégias e analisar carta de Lula.

O Partido dos Trabalhadores (PT) decidiu se concentrar a portas fechadas e tentar dar um rumo na esperança de tirar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva da cadeia. As sucessivas derrotas no Supremo Tribunal Federal causaram um temor gigantesco nas pretensões do partido, que vê, cada vez mais distante, a chance da Corte alterar o entendimento sobre a prisão após condenação em segunda instância.

Cármen Lúcia se tornou a grande inimiga dos petistas ao se manter firme e não colocar na pauta do Supremo essa possível alteração na jurisprudência da Corte. E para causar mais preocupação aos petistas, um outro sinal é dado e vem de uma pessoa que sempre foi vista como um defensor do partido no STF, o ministro Dias Toffoli.

Interlocutores do ministro afirmaram que ele não está disposto a levar à Corte o assunto à tona sobre a prisão em segunda instância, quando ele assumir o comando do STF, no mês de setembro deste ano. Conforme as informações, ele esperaria passar o momento das eleições para depois pensar em alguma coisa sobre esse assunto. Dessa forma, Lula perderia todas as chances de concorrer na disputa eleitoral.

Uma outra esperança do petista é que o ministro Marco Aurélio Mello possa levar o tema à mesa, ao ser relator de uma ação do PCdoB. que pede a liberdade de Lula. Colegas de tribunal ressaltaram que será difícil o ministro tomar essa decisão, pois confrontaria Cármen Lúcia e ele poderia ser derrotado, ficando a impressão de que só queria tentar beneficiar Lula.

Carta do ex-presidente
Lula insiste que deve ser o candidato do partido nas próximas eleições e, numa carta, direcionada à presidente do partido, senadora Gleisi Hoffmann, Lula falou que se não for candidato estaria assumindo que cometeu crime.

O tesoureiro do partido, Emídio de Souza, em uma visita à cela do ex-presidente, também afirmou que Lula não desistiu de concorrer e guarda suas apostas nas ações que ainda sobrevivem na Corte.

Risco
Vários críticos já avisaram que o PT, ao apoiar a candidatura de Lula, estaria cometendo uma ação suicida, pois estava tirando a oportunidade de outro candidato começar a discursar para os militantes.

Porém, o PT decidiu. Vai arriscar tudo por Lula. Todas as conversas sobre um plano B serão extintas.

Confrontando a Justiça, membros do partido já pensam em montar comitê físico, em São Paulo. O ex-ministro Gilberto Carvalho afirmou que o PT vai até o fim com Lula. Só será esgotado essa alternativa quando Lula for totalmente excluído das Eleições. O PT pode estar pronto para dar um grande tiro no pé.

 

Via: blastingnews

   

Gostou? Compartilhe!