A resposta do General Mourão aos ataques da grande mídia

Um dia após ser anunciado como vice na chapa com Jair Bolsoanro, o general Mourão já foi duramente atacado pela grande mídia.

O bombardeio aconteceu após uma declaração feita na segunda-feira numa reunião-almoço da Câmara de Indústria, Comércio e Serviços de Caxias do Sul, na Serra do Rio Grande do Sul.

“Essa herança do privilégio é uma herança ibérica. Temos uma certa herança da indolência, que vem da cultura indígena. Eu sou indígena, minha gente. Meu pai é amazonense. E a malandragem, Edson Rosa (vereador de Caxias do Sul), nada contra, mas a malandragem é oriunda do africano. Então, essa é o nosso cadinho cultural. Infelizmente, gostamos de mártires, líderes populistas e dos macunaímas”, afirmou Mourão, em trecho gravado pelo jornal Pioneiro e repercutido após a Veja divulgar com título sensacionalista.

Em resposta a polêmica, segundo o G1, Mourão disse foi mal interpretado e que em momento algum fez referência a indígenas e africanos de forma pejorativa. Afirmou ainda que não é racista, reforçou sua origem indígena, e disse que “o brasileiro precisa conhecer a sua origem para as coisas boas e não tão boas”.

“O contexto que coloco é da herança cultural, tendo como base estudiosos gabaritados da nossa nacionalidade. Esse contexto trouxe heranças positivas e negativas, sem distinção de cor e raça, para todos os brasileiros”, declarou o general em nota à imprensa.

Mourão afirmou que a polêmica está sempre presente em suas palestras, e que ele reafirma tudo por acreditar que “nós brasileiros temos heranças culturais boas e ruins” e que isso vale, na opinião dele, para as pessoas brancas que ocupam cargos públicos e tentam obter vantagens e privilégios em suas funções. Ou seja, disse que não se trata do negro, do índio ou do branco, e sim de uma personalidade cultural que precisa ser entendida e mudada.

Via: PAPOTV

     

Gostou? Compartilhe!

  • 11.7K
    Shares