Alexandre Garcia, em texto sublime, questiona o destino da bandidagem: “Na cadeia ou nas ruas?”