Ao fazer um desagravo, Deltan Dallagnol se manifesta sobre decisão do Supremo

Procurador da República e coordenador da Lava Jato, Deltan Dallagnol, se expressou contundentemente por meio de seu perfil em uma rede social.

Um dos principais representantes do Ministério Público Federal e membro integrante da força-tarefa de trabalho da maior operação anticorrupção que já realizada em toda a história contemporânea brasileira, procurador da República Deltan Dallagnol, da Operação Lava Jato, foi enfático ao se expressar por meio de seu perfil em uma rede social.

Ele já havia se manifestado anteriormente e relação à situação do foro privilegiado no país, que, segundo o procurador da República, seria um dos principais problemas para impunidade no Brasil. Isso porque muitas autoridades, especialmente políticos, estariam propensos a ter esse verdadeiro guarda-chuva ao serem julgados pela mais alta instância do Poder Judiciário brasileiro, o Supremo Tribunal Federal (STF).

Restrição do foro privilegiado
Nesta semana, o Supremo Tribunal Federal (STF), por votação unânime de seus 11 ministros, decidiu pela restrição à medida do foro privilegiado no Brasil. a votação em Plenário da Suprema Corte ocorreu na quinta-feira (3).

Vale ressaltar que o alcance da restrição da medida do foro privilegiado servirá tão somente para deputados federais e senadores da República. Eventuais crimes cometidos por esses parlamentares que não tenham ocorrido durante o mandato eletivo e nem mesmo em função do cargo passam a ser julgado pelos tribunais de 1ª instância. O foro especial estará restrito crimes cometidos durante e em função do mandato público.

Embora essa restrição seja ainda insuficiente para atender aos anseios da população brasileira e da sociedade civil organizada como um todo, a mudança de paradigma já poderia ser considerado um pequeno avanço no combate à corrupção e à impunidade no Brasil.

De acordo com o que o coordenador-geral da Operação Lava Jato, Deltan Dallagnol, que se expressou em seu perfil de rede social do Twitter, a sociedade brasileira já poderia ter algum motivo para comemorar. Dallagnol escreveu, de modo contundente, que a restrição da medida do foro privilegiado teria sido uma grande vitória de todos os brasileiros.

O procurador Deltan Dallagnol foi ainda mais longe ao considerar que espera-se que o Supremo Tribunal Federal possa encaminhar para primeira instância, o quanto antes possível, as investigações de crimes ocorridos anteriormente ao ano de 2015. Isso porque muitos dos crimes ocorridos no âmbito das apurações da Operação Lava Jato teriam ocorridos em mandatos anteriores de parlamentares envolvidos, de acordo com a acusações.

Vale lembrar que as ações da Operação Lava Jato no Paraná são julgadas em primeira instância pelo juiz Sérgio Moro, a partir da 13ª Vara Federal de Curitiba. A operação desvios bilionários provenientes dos cofres públicos da maior estatal brasileira, a Petrobras.

Via: blastingnews

     

Gostou? Compartilhe!

  • 2.9K
    Shares