Após decisão de juiz, Lula terá nova batalha pela frente

Ex-presidente terá que dar explicações sobre a compra de caças suecos no governo de Dilma Rousseff.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é réu num processo em que o Ministério Público Federal (MPF) o acusa de supostos crimes praticados entre 2013 e 2015, onde o petista teria participado de um esquema irregular para beneficiar empresas junto ao governo da ex-presidente Dilma Rousseff. Segundo a denúncia, ele responde por uma ação penal que envolve a compra de 36 caças suecos e sobre uma aprovação no Congresso que teria beneficiado montadoras, dando incentivos fiscais através de uma medida provisória. Tudo teria acontecido sob a influência do ex-presidente.

O juiz Vallisney de Oliveira, da 10ª Vara Federal de Brasília, respondeu, nesta segunda-feira (14), um pedido da defesa de Lula para que o depoimento dele e de seu filho, Luiz Claudio Lula da Silva, fossem suspensos.

O juiz negou e disse que o interrogatório foi mantido para o dia 21 de junho.

A defesa do petista alegou que a decisão do Tribunal Regional Federal da 1ª Região deu quatro meses para depoimentos de testemunhas do exterior e depois, seria a vez de Lula ser ouvido.

O juiz de Brasília não aceitou os argumentos da defesa e explicou que quatro meses já estava de bom tamanho para que o interrogatório fosse feito. O juiz também afirmou que autoridades de Suécia, Reino Unido e França não pediram, em nenhum momento, adiamento do interrogatório, vendo que, dessa forma, tudo está caminhando dentro dos conformes.

Mesmo assim, o juiz forneceu ao ex-presidente e seu filho, a chance de falarem por videoconferência, desde que seja relatado com dez dias de antecedência.

Esquema
O ex-presidente nega que tenha envolvimento em qualquer irregularidade e disse que nunca interferiu na compra de caças pelo Brasil e nem mesmo influenciou o Congresso em relação às medidas provisórias.

Lula quer segurar ao máximo o seu depoimento e a sua defesa foi surpreendida com um “não” do juiz de Brasília, nesta segunda (14) .No próximo mês já ficou certo o seu interrogatório e Lula terá que se explicar.

Dilma e Lula
As acusações contra Lula de lavagem de dinheiro, organização criminosa e tráfico de influência em relação a compra dos caças aconteceram durante o governo de Dilma Rousseff. Um fato que chama a atenção e foi noticiado pelo jornalista Andrei Meireles, é que Lula, pelo menos até o momento, não enviou nenhuma carta da prisão para a ex-presidente.

Todas as cartas do ex-presidente são direcionadas para a senadora Gleisi Hoffmann.

Via: blastingnews