Até aliados mineiros rejeitam candidatura de Aécio ao Senado

Senador tucano por Minas Gerais terá que vencer eleição para não perder o foro privilegiado.

As eleições de outubro irão dizer muito sobre o futuro político de Aécio Neves, após os inúmeros escândalos envolvendo seu nome. O senador tucano já descartou disputar uma cadeira na Câmara dos Deputados. Segundo ele, o caminho mais possível é disputar a reeleição para o Senado. Porém, parece que o senador mineiro irá enfrentar resistência entre os aliados do próprio estado.

 

O senador terá que driblar três questões importantes. Seu nome sofre rejeição dos dois principais candidatos de oposição ao governador petista, Fernando Pimentel. Isso dificulta a criação de um palanque único. Internamente, Aécio é visto como um estorvo para o PSDB nacional.

Até os aliados mais próximos enxergam com cautela aquele que já foi apontado como a renovação do PSDB.

 

Minas Gerais é o segundo maior colégio eleitoral do Brasil. Em 2014, quando Aécio disputou com Dilma, a presidente saiu vitoriosa no quintal do concorrente. Aliados de Alckmin temem que Neves seja uma barreira que atrapalhe o palanque do pré-candidato tucano à Presidência da República no estado.

Segundo informações do jornal ‘Estadão’, Aécio teria dito que prefere não concorrer nas eleições de outubro a se ver obrigado a disputar uma cadeira na Câmara. Segundo teria afirmado, “não precisa” disso. E ainda ponderou que não seria por interesse no foro privilegiado que iria disputar uma vaga de deputado federal.

 

via: blastingnews