Augusto Heleno admite preocupação do governo Bolsonaro com reajuste salarial do Supremo

O general enfatizou que impactos da decisão deverão ser avaliados. Consultoria da Câmara e Senado sinaliza impacto anual de R$ 4 bilhões.

O general Augusto Heleno, que antes seria futuro ministro da Defesa, porém, agora assumirá a chefia do Gabinete de Segurança Institucional, comentou sobre a decisão em prol dos ministros do supremo Tribunal Federal (STF). Nesta última quarta-feira, 7 de novembro, o Senado aprovou o reajuste salarial dos ministros da Suprema Corte. Com isso, o vencimento que antes era de R$ 33,7 mil, passa a ser R$ 39,3 mil.

Augusto Heleno negou que a decisão do Supremo seja a primeira derrota do Governo Bolsonaro, porém, enfatizou que o caso gera preocupação e precisará de uma análise do economista Paulo Guedes. O general disse que não poderia fazer uma avaliação no momento, mas admite que um estudo deve ser feitos para colocar em evidência os impactos que isso gera.

General Augusto Heleno comentou sobre o caso quando estava chegando na casa do presidente eleito Jair Bolsonaro, nesta quinta-feira, 8 de novembro.

O Senado foi o responsável por aprovar o aumento salarial dos ministros do Supremo. Na Câmara e no Senado, foram realizadas consultorias para avaliar os impactos que esse aumento irá gerar. A expectativa é que seja de R$ 4 bilhões nas contas públicas anualmente.

Na quarta-feira, Bolsonaro já demonstrou preocupação com o caso. Segundo informações da “Folha de S.Paulo”, essa seria a primeira “pauta-bomba” que o governo do capitão reformado terá que enfrentar. Bolsonaro chegou a dizer que aquele não era o momento do Supremo aumentar o salário.

Futuro ministro-chefe do GSI
Augusto Heleno estava anteriormente escalado para o Ministério da Defesa.

No entanto, mudanças o colocaram como ministro-chefe do GSI. No momento, segundo o próprio general, ainda não se tem o nome ao certo de quem comandará a Defesa. Uma das hipóteses é que o cargo vá para alguém da Marinha, segundo o vice Hamilton Mourão.

Augusto Heleno disse que seu comando no GSI não fará mudanças bruscas no Gabinete. O general disse que seguirá os mesmos passos dos ministros anteriores e que não será preciso “reinventar a roda no GSI”.

Outro tema que também respondeu aos jornalistas foi sobre o convite de Michel Temer a Bolsonaro. Temer convidou o presidente eleito para uma viagem ao exterior. No entanto, Augusto Heleno disse que não sabe se Boslonaro terá condições de encarar uma viagem internacional no momento.

Bolsonaro, desde que sofreu atentado em 6 de setembro, está em fase de recuperação. O futuro presidente também passará por uma nova cirurgia no mês de dezembro.

Via: blastingnews

Compartilhe em Suas Redes Sociais