Bolsonaro tem melhora e voltará a se alimentar por via oral, diz hospital

Candidato ainda se encontra na UTI, mas seu quadro é considerado estável.
O Hospital Albert Einstein, em São Paulo, divulgou na manhã desta terça-feira (11), mais um boletim médico atualizando o estado de saúde do candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro. Segundo informações atualizadas, o deputado apresentou melhora intestinal e voltará a se alimentar via oral. Ele ainda segue na UTI, onde seu estado é estável e não apresenta febre ou sinais de infecção.

“Em decorrência da melhora intestinal, a sonda nasogástrica foi retirada na manhã de hoje”, disse o comunicado, que também informou que a alimentação via oral será reiniciada e progredida de forma gradual.

Segundo a cúpula do Einstein, estão sendo monitorados os riscos de pneumonia, em razão dele ter ficado em choque, e também infecção, por conta do vazamento da massa fecal na cavidade abdominal.

Ele ficará pelo menos mais uma semana internado e após receber alta, ainda terá que passar por uma cirurgia para reconstruir o trânsito intestinal e retirar a bolsa de colostomia.

Agradecimentos
Também nesta terça, o candidato voltou a fazer uso das redes sociais para postar um agradecimento às pessoas que estiveram em Juiz de Fora, onde aconteceu o atentado. “Nada apagará a chama da esperança que presenciamos nos olhos de cada um”, escreveu.

No dia anterior, ele também havia aparecido nas redes sociais, onde fez críticas aos “acomodados com a velha política suja” e que duvidaram da seriedade de sua campanha e fez agradecimentos pelos atos de solidariedade que vem recebendo desde quando foi vítima do atentado, na última quinta-feira (7). “Este apoio é nosso combustível”. “Muito obrigado a todos! Nós vamos mudar o Brasil!”, escreveu.

Subiu no Datafolha
A primeira pesquisa feita pelo Datafolha após o atentado, mostrou um crescimento de Jair Bolsonaro nas intenções de votos. O candidato do PSL agora aparece com 24% das intenções de votos, contra 22% feito no levantamento anterior. Outros dois candidatos também subiram. Ciro Gomes (PDT), passou de 10 para 13%, enquanto que Fernando Haddad, que nesta terça-feira deverá ser oficializado como o candidato do PT, foi de 4% para 9%.

Quem apresentou maior queda foi Marina Silva (Rede), que antes tinha 16% e agora passou para 11%. O tucano Geraldo Alckmin oscilou negativamente, passando de 10 para 9%. Eleitores que disseram que irão votar em branco, nulo ou em nenhum dos candidatos caiu de 22 para 15%, enquanto que 7% ainda não sabem em quem irão votar.

Via: blastingnews

   

Gostou? Compartilhe!