BOMBA: DELEGADO que foi a casa do filho de Lula quebra o silêncio e faz REVELAÇÃO FORTE

O #delegado Rodrigo Luís Galazzo, responsável por comandar a operação policial que fez busca e apreensão na casa do filho do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva , o psicólogo Marcos Cláudio #Lula da Silva, decidiu romper o silêncio e falou o porquê da operação e como tudo aconteceu.

 

Ele concedeu uma entrevista à revista Veja e disse que não sabia que aquela casa era do filho de Lula. De acordo com Galazzo, ele apenas cumpriu as suas obrigações e faria tudo novamente se fosse preciso, pois, em nenhum momento, agiu fora da lei. “Não me arrependo de nada”, disse o delegado.

Galazzo tem 44 anos, sendo 13 no cargo de delegado de polícia.

Ele revelou que é normal surgirem suspeitas de alguma coisa irregular e a polícia tem o dever de averiguar tudo. Os mandados de busca e apreensão são comuns na rotina policial e não há necessidade de nenhum inquérito em andamento, afirmou.

A juíza responsável em pedir a busca e apreensão foi Marta Brandão Pistelli, do Fórum de Paulínia.

O secretário de Segurança de São Paulo, Mágino Alves Barbosa Filho, preferiu analisar melhor como tudo aconteceu e instaurou, na quarta-feira (11), um procedimento administrativo. Ele quer saber se o delegado agiu corretamente e o que levou a juíza a determinar o mandado de busca e apreensão. Na segunda-feira, a própria juíza determinou sigilo no caso .

Seguindo normas

O delegado foi questionado se sabia que lá era a casa do filho do ex-presidente.

Galazzo ressaltou que não sabia e só foi tomar conhecimento disso quando pegou os documentos de Marcos Cláudio para confirmar os dados.

Segundo ele, só existiam nos papéis o nome dos donos das propriedades, mas não tinha o nome do filho de Lula.

Mesmo se tratando de uma busca e apreensão de armas ou drogas, o delegado resolveu levar equipamentos como: computadores, DVDs e outros objetos. Galazzo comentou que tudo que foi levado retornou normalmente para a casa de Marcos e que a apreensão era apenas para análise, já que haviam suspeitas sobre irregularidades no imóvel.

Transparência

Rodrigo Luís Galazzo disse que um morador denunciou que haviam drogas e armas nas duas residências, inclusive, ele se identificou e foi até a delegacia explicar todos os detalhes.

Conforme informações do delegado, o alvo não era o filho do Lula, mas sim o imóvel e todo o trabalho foi feito com o máximo de transparência.

Galazzo também falou que nunca se filiou a nenhum partido e realiza seu trabalho com o máximo de profissionalismo e competência.

FONTE: www.noticiasbrasilonline.com.br

     

Gostou? Compartilhe!

  • 655
    Shares