Brasil vai comandar o isolamento de Maduro, que está fora da posse de Bolsonaro

O futuro chanceler brasileiro Ernesto Araújo deu neste domingo (16) uma explicação extremamente convincente para o fato de Nicolas Maduro estar definitivamente fora da lista de convidados para a posse de Jair Bolsonaro.

“Em respeito ao povo venezuelano, não convidamos Nicolás Maduro para a posse do presidente Bolsonaro. Não há lugar para Maduro numa celebração da democracia e do triunfo da vontade popular brasileira. Todos os países do mundo devem deixar de apoiá-lo e unir-se para libertar a Venezuela.”

Após a investida do ditador venezuelano contra o vice-presidente eleito General Hamilton Mourão, a declaração de Araújo soa como uma firme resposta.

O novo governo brasileiro não quer nem conversa com a ditadura venezuelana.

Provavelmente, sob a liderança do Brasil, o isolamento de Maduro deverá ser intensificado.

Maurício Macri, presidente da Argentina, tem visita oficial a Bolsonaro, marcada para o mês de janeiro.

O assunto deverá ser um dos principais a ser tratado.

Via: Jornal da Cidade Online

Gostou? Compartilhe Com seus Amigos!