‘Brasileiro indignado’ desabafa e ‘silencia’ Cármen Lúcia com forte declaração

Uma carta está repercutindo nas redes sociais e mostra o desabafo de um brasileiro contra a ministra.
A ministra e presidente do Supremo Tribunal Federal, Cármen Lúcia, esteve realizando algumas visitas em presídios nesta semana. Ela chegou a conversar com um detento num presídio do Paraná e afirmou que os juízes estão agilizando os processos para que os direitos de todos os presos sejam respeitados.

 

Após a visita nesse presídio, ela se dirigiu ao Tribunal de Justiça do Paraná e assinou um termo de adesão onde serão encontradas todas as informações dos detentos presos do estado. Dessa forma, será feito um monitoramento mais consistente sobre a situação carcerária no país. A ministra sempre se mostrou preocupada com esse fato e quer melhorar as condições para os condenados, buscando respeitar os seus direitos.

Uma pessoa identificada apenas como “brasileiro indignado”, escreveu nas redes sociais uma carta de repulsa pelas atitudes da ministra. Os pontos principais do questionamento dessa pessoa são por que a presidente da Corte nunca tinha tempo para visitar um hospital, um quartel ou universidades.

 

Trechos da carta
No começo dos seus dizeres, ele falou que espera que essa carta chegue até a ministra e relatou profunda indignação com tudo que está vendo.

A pessoa comentou que viu a passagem da ministra pelo presídio em Goiás a fim de tentar buscar alguma alternativa para aquela situação carcerária. Nesse local, ocorreram inúmeras mortes e uma rebelião nos últimos dias.

O “brasileiro indignado” perguntou a Cármen Lúcia quando ela visitaria um Batalhão da PM no Rio de Janeiro, onde foram constatadas, no ano de 2017, mais de 100 mortes de oficiais, que morreram dando a vida para cuidar da sociedade.

Depois, ele perguntou se ela visitaria algum hospital, onde pessoas morrem sem atendimento médico, às vezes, vítimas dos bandidos que estão presos por todo Brasil. O internauta também perguntou sobre quando a presidente vai dar um pulo nas escolas públicas e universidades que possuem um monte de alunos morrendo intelectualmente.

Bandidos
Ainda conforme os dizeres da carta, os bandidos presos estão lá por opção deles, por fazerem maldades e infringirem as leis.

Para o escritor, a ministra deveria se preocupar com as pessoas de bem desse país e não com assassinos.

Ele revelou ter pena dos pais que perdem seus filhos e por aqueles que lutam e morrem trabalhando para dar um sustento para a família.

As eleições estão chegando. O povo brasileiro merece alguém que mude esse país, são as declarações finais da carta.

 

Via: blastingnews

   

Gostou? Compartilhe!

  • 12.6K
    Shares