Bretas condena Eike Batista a 30 anos de cadeia e ordena a devolução de R$ 53 milhões do dinheiro roubado

O juiz Federal Marcelo Bretas, responsável pela Lava Jato no Rio de Janeiro, condenou Eike Batista a 30 anos de prisão e a uma multa de R$ 53 milhões. O ex-bilionário é acusado de pagar US$ 16,5 milhões em propina ao ex-governador do Rio Sérgio Cabral em 2010. É a primeira condenação do empresário.

Bretas também condenou a 22 anos e 8 meses de prisão a Sérgio Cabral. É a sexta condenação contra o ex-governador, que agora acumula 122 anos e 8 meses de prisão. Outras quatro pessoas também foram condenadas, entre elas a ex-primeira-dama Adriana Ancelmo e Flávio Godinho, que trabalhou para o grupo EBX.

O pagamento realizado a Cabral foi realizado no exterior, por intermédio dos doleiros Renato e Marcelo Chebar, que funcionavam como operadores para o ex-governador.

Em interrogatório, Cabral negou que tenha recebido a propina, e declarou que Eike contribuiu para o caixa dois de sua campanha, em repasse que teria sido organizado entre Godinho e Chebar.

Fonte: Jornal do Brasil