Bretas dá a volta em Gilmar e vida de Cabral fica ainda mais complicada

O ministro certamente se sentiu panaca…

O ex-governador Sérgio Cabral, homem que usou e abusou das farras com o dinheiro público e que tem enorme responsabilidade pela atual situação do Rio de Janeiro, mesmo na condição de presidiário, conseguia um tratamento extremamente diferenciado, em Benfica.

O juiz Marcelo Bretas tentou acabar com essas regalias, determinando a sua transferência para o presídio federal de Campo Grande (MS).

O ministro Gilmar Mendes não permitiu e acatou recurso da defesa de Cabral, mantendo-o no aconchegante presídio de Benfica.

Algum tempo passado e com a continuação das denúncias sobre as benesses de Cabral, como ele é réu também em Curitiba, o juiz Sérgio Moro determinou a sua transferência para a capital paranaense.

Na época, Gilmar estava de férias e não teve quem socorresse o ex-governador, que acabou sendo transferido.

Tão logo retornou das ‘merecidas’ férias, Gilmar já tinha em sua mesa um novo recurso de Cabral, pedindo o seu retorno para o Rio.

Prestativo, novamente Gilmar deferiu.

Todavia, como a nova decisão não explicitava o presídio, Bretas deu a volta em Gilmar e mandou Cabral para Bangu 8.

Na nova morada, Cabral não tem qualquer regalia e é tratado como preso comum, em condições bem mais duras do que em Curitiba.

Só sai da cela por duas horas diárias.

Em Benfica, por exemplo, as celas abriam às 8h, fechavam às 18h e ele circulava pelo presídio o dia inteiro.

Se deu mal…

Fonte: jornal da cidade online

     

Gostou? Compartilhe!

  • 12K
    Shares