Cármen Lúcia desafia advogado de Lula e dá ‘alfinetada’ em Gleisi Hoffmann

Presidente do STF já avisou que não vai se submeter a nenhuma pressão e indiretamente mostrou para Gleisi o seu poder na Corte.

A presidente do Supremo Tribunal Federal, ministra Cármen Lúcia, esteve presente em um evento da Folha de São Paulo, nesta terça-feira (13) e com muita convicção derrubou os sonhos dos petistas em livrar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva de uma quase certa prisão.

Determinada, a ministra afirmou que não vai se submeter a nenhuma pressão, não importa de qual lado vier. As duras palavras da ministra soaram como um recado ao advogado e ex-presidente do STF, Sepúlveda Pertence, que irá ter uma reunião com ela nesta quarta (14), ao meio-dia.

A ministra também mostrou que não vai se abalar com possíveis ameaças que surgem tentando intimidá-la.

Recentemente, a presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann, chegou a procurar Cármen para implorar ajuda a Lula. A ministra não quis recebê-la, já que não havia nenhuma reunião marcada com a senadora. Transtornada, Gleisi fez ameaças dentro da Corte e teve que ser contida pelo ministro Dias Toffoli, evitando que a situação se tornasse mais complicada, já que se cogitou a presença de seguranças para tirá-la do local.

Cármen Lúcia deixou certo que não vai por na pauta do Supremo um possível novo entendimento sobre a prisão após condenação em segunda instância.

Pressão
Questionada sobre como lidava com todas aquelas pressões contra ela, a ministra respondeu simplesmente que não se submete a nenhuma pressão e disse que estava tranquila em relação a isso.

O evento que Cármen participou foi promovido pela Folha de São Paulo e realizado no Teatro Alfa, em São Paulo.

Estavam participando do debate, além da presidente da Corte, a ministra-chefe da AGU (Advocacia-Geral da União), Grace Mendonça e a ministra do Supremo Tribunal Militar, Maria Elizabeth Rocha.

Encontro com Pertence
Amanhã, Cármen ouvirá os apelos de Pertence. O recado de hoje já é uma prova de que o advogado terá que ter muito jogo de cintura para conseguir tirar alguma coisa de Cármen.

Pertence tem visitado vários ministros do STF pedindo para que a Corte julgasse o entendimento sobre a prisão após sentença da segunda instância.

Lula pode ser preso no dia 26 de março após tramitação de seus recursos no Tribunal Regional Federal da 4° Região (TRF-4). A defesa do petista corre contra o tempo e alega pontos obscuros e ilegais na sentença proferida pelo juiz federal Sérgio Moro, responsável pela Operação Lava Jato.

Vale ressaltar que, no dia 26 de março, Moro estará dando entrevistas ao programa Roda Viva da TV Cultura. Bem no dia da possível prisão de Lula.

Via: blastingnews