Cármen Lúcia diz o que pensa sobre reajuste salarial de ministros do Supremo

A presidente do Supremo Tribunal Federal, Cármen Lúcia, se pronunciou sobre a polêmica envolvendo o aumento salarial de ministros. Em recente votação, foi estabelecido o aumento do salário para os magistrados. Apenas quatro ministros ficaram contra a decisão, eles foram Edson Fachin, Cármen Lúcia, Rosa Weber e Celso de Mello.

Segundo reportagem no portal “O Globo”, Cármen disse que vê a reação negativa dos brasileiros com o aumento. Em tempos de crise, a presidente da Corte sinaliza que o aumento salarial veio no momento errado, devido milhões de brasileiros não terem nem o mínimo, o emprego.

A situação dos desempregados assusta, mas assusta ainda mais o Supremo decidir reajustar o pagamento mensal. Com isso, ignorando aqueles que não conseguem emprego. No entanto, Cármen Lúcia disse que é real que os salários dos magistrados estejam “defasados” e que necessitem de um aumento. Porém, a ministra acredita que este não é o melhor momento para a decisão.

Cármen disse que o momento é de sacrifício. Se todos os brasileiros estão vivendo tempos difíceis, o Supremo deveria também se sacrificar e esperar mais um pouco para aumentar os próprios salários.

Infelizmente, a ministra não decide o caso sozinha. Em votação, os ministros Gilmar Mendes, Alexandre de Moraes, Marco Aurélio Mello, Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski, Luís Roberto Barroso e Luiz Fux, votaram a favor. Á princípio, o aumento estabelecido foi de 16,38%.

Justificativa de Lewandowski
O ministro Ricardo Lewandowski deu uma justificativa falha ao comentar sobre o aumento salarial. Segundo o ministro, a Lava Jato devolveu R$ 1 bilhão aos cofres públicos oriundos de corrupção. Então, o ministro enfatizou que este dinheiro devolvido já serviria para o aumento do salário dos ministros sem causar prejuízos no país. No entanto, as afirmações do ministro não convém com a realidade, segundo informação da revista “Veja”.

O portal avaliou que o ministro não deveria comparar um dinheiro ressarcido, usando-o como meio de aumentar seu próprio salário.

Fonte:O ANTAGONISTA