Chefe de gabinete do Presidente de Tribunal que julgará Lula pede prisão do petista pelo Facebook

SÃO PAULO – Uma notícia do fim de semana segue repercutindo no radar político. Na quarta-feira da semana passada, a chefe de gabinete da presidência do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, Daniela Tagliari Kreling Lau, fez uma publicação em sua página pessoal no Facebook que gerou muita polêmica. Ela compartilhou uma petição online em apoio à condenação e à prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A postagem diz que o Brasil inteiro “exige a prisão de Lula” e convoca outros seguidores a assinarem o manifesto virtual. Após a repercussão do caso, ela apagou o post.

Vale ressaltar que será o TRF da 4ª Região que julgará, no próximo dia 24 de janeiro, o recurso do ex-presidente Lula contra a sentença de Sérgio Moro em primeira instância no caso tríplex do Guarujá.

A publicação da servidora gerou uma série de protestos dentro do PT. Pelo Twitter, Gleisi Hoffman, presidente nacional da legenda, afirmou que Lula é alvo de “perseguição e ativismo político” dentro do Tribunal. Já o deputado Pepe Vargas (RS), afirmou: “já não bastava seu chefe ter dito sobre a sentença condenatória de Lula sem provas, que ela era perfeita antes de lê-la. O Golpe continua EleiçãoSemLulaÉFraude”. Ele se referiu à entrevista ao Estadão concedida pelo presidente da Corte, Carlos Eduardo Thompson Flores Lenz, em que afirmou que a sentença de Moro contra Lula “é tecnicamente irrepreensível”.

O TRF4 informou em nota que a servidora exerceu o direito à manifestação, “constitucionalmente assegurado a todo e a qualquer brasileiro”. “A servidora Daniela Tagliari Krelin Lau, fora do seu horário de trabalho e em caráter absolutamente dissociado das funções do cargo que atualmente ocupa nesta Corte, exerceu direito constitucionalmente assegurado a todo e a qualquer brasileiro”.

 

Fonte: http://jornaljn.com