Com a falta de “clima político”, Jair Bolsonaro trava reforma administrativa

Pode-se dizer que o governo federal desistiu de enviar para o Congresso proposta de reforma administrativa até o momento, que iria modificar em grande escala as regras dentro do âmbito do funcionalismo público.

O texto não possui mais prazo para ser encaminhado até os parlamentares. O recuo foi tomado pelo Palácio do Planalto depois de consultas a lideranças no Parlamento, que chegaram a uma ausência de “clima político” para o governo mandar uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC).

Um membro da equipe econômica afirmou que a reforma já havia sido finalizada, porém a decisão é política. Jair Bolsonaro ainda não chegou a uma conclusão em diversos temas da proposta levada por sua equipe econômica.

Dentro do Congresso, existem as pessoas que enxergam o assunto como uma tentativa de pôr em cima do Parlamento a responsabilidade por conta de ser mais uma agenda tida como “negativa”, depois da aprovação da reforma da Previdência.

As tão declarações polêmicas do ministro da Economia, Paulo Guedes, que disse que os servidores são “parasitas”, também resultaram num clima ainda mais nubloso.

Já faz meses desde que o governo atua no texto da PEC. Na semana passada, Jair Bolsonaro disse que estava na “iminência” de encaminhar a proposta de reforma administrativa para o Congresso.