Como Levar A Sério Um País Que Concede A Roseana Sarney Uma Pensão Vitalícia De R$ 48 Mil, 5 Funcionários E Um Carro?

Roseana, que já foi senadora, soma esse valor aos R$ 23,8 mil que já recebe por ser aposentada do Senado Federal desde 2013.( As informações são do Jonh Cutrim

A ex-governadora também tem à sua disposição, de forma vitalícia, cinco funcionários e um carro. Tudo isso bancado com recursos públicos.

O pai de Roseana, o ex-presidente do Senado, José Sarney, que governou o Maranhão até 1971, é um dos que recebe o benefício. A assessoria dele não confirma o valor recebido. A legislação do Maranhão, segundo a OAB do Estado, prevê aposentadoria de R$ 24 mil a quem ocupou o cargo por, no mínimo, seis meses.

Segundo o Ministério Público, Sarney recebe duas aposentadorias, como ex-governador do Maranhão e como servidor do Tribunal de Justiça. O jornal Folha de S.Paulo mostrou que as duas aposentadorias de Sarney somavam R$ 35.560,98.

O legado tenebroso de Roseana

Em quatro mandatos de Roseana Sarney (1995/1998; 1999/2002; 2009/2010 e 2011/2014), a população maranhense padeceu com miséria, atraso e retrocesso, resultado das administrações desastrosas do clã Sarney. Nesse longo período de desgoverno, Roseana deixou 2 milhões de maranhenses abaixo da linha de miséria (renda per capita de R$ 70 por mês); 64% da população passando fome e os piores indicadores sociais. Roseana saiu do cargo com o Maranhão tendo as três piores cidades em renda per capita do Brasil – das 100 cidades com pior IDH, 20 do Maranhão; com apenas 6,5% dos municípios maranhenses com rede de esgoto e dos 15 municípios brasileiros com as menores rendas, segundo o IBGE, dez situados no Maranhão (é o estado brasileiro com maior percentual de miseráveis). O Maranhão tinha, em 2012, governado por Roseana Sarney, a segunda maior taxa de analfabetismo de jovens e adultos, com 20,8% da população de 15 anos ou mais sem saber ler e escrever e altas taxas de mortalidade infantil. O estado, nas gestões da filha do ex-senador José Sarney, viveu seus piores momentos, foram dias de fome, grande insegurança, desemprego em alta e corrupção desenfreada, ciclo aterrorizante encerrado com a saída de Roseana do Palácio dos Leões em 2014.

Via: NOTICIAS BRASIL ONLINE