Decepção No Planalto: PF Dobra O Número Dos Delegados Que Investigam Políticos

A Polícia Federal (PF) concluiu o processo de escolha de delegados para a nova equipe responsável por investigar políticos e atuar em inquéritos da Lava Jato. O diretor de investigação e combate ao crime organizado, Eugênio Ricas, afirmou que os delegados escolhidos em outros estados serão levados para Brasília e devem começar a trabalhar até o fim do mês. Com a escolha da equipe da Lava Jato, o número de delegados praticamente dobrou, ao passar de 9 para 17. A meta, segundo Ricas, é concluir os 273 inquéritos em andamento sobre políticos com foro no Supremo Tribunal Federal e 124 exclusivamente da Lava Jato.

 

O delegado Josélio Azevedo de Souza segue liderando os trabalhos no cargo de coordenador de combate à corrupção e ao crime organizado. Ele já chefiou os trabalhos da Lava Jato e é especializado em investigações sobre desvios de recursos públicos e internamente é tido como um delegado técnico e discreto na condução das investigações . Os delegados da Lava Jato foram escolhidos nos estados e a permissão para trabalharem em Brasília foi acertada em reunião da direção da PF com todos os superintendentes.

INDICADO POR SARNEY – A equipe final era muito aguardada após a mudança na direção-geral da PF, que ocorreu em novembro, quando o delegado Fernando Segovia foi escolhido para o cargo.

 

O nome dele foi uma escolha pessoal do presidente Michel Temer, que foi aconselhado pelo ex-presidente e ex-senador José Sarney, o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha e pelo ministro do TCU Augusto Nardes.