Delegado da PF é ameaçado e alvo de ataque criminoso; vídeo

Segundo as informações do site ‘Papo TV’, o fato foi considerado um ataque terrorista pelo delegado.
Conforme as informações do site “Papo TV”, o delegado da Polícia Federal e deputado federal Fernando Destito Francischini publicou um vídeo nas redes sociais lamentando os problemas causados por vândalos na sua residência.

Ele chegou a chamar o fato de um ataque terrorista e afirmou que não vai se calar e nada o intimidará.

No vídeo, o delegado afirma que tem pessoas que acham que podem frear as suas denúncias contra os bandidos, se utilizando de ataques contra sua casa ou sua família. Francischini comentou que está em contato com os vizinhos e que vai buscar as imagens de toda a redondeza e descobrir quem foram os responsáveis em apedrejar a sua casa.

“Esse é um ato criminoso e que vai ser apurado”, declarou.

Francischini aproveitou o ocorrido e deixou um recado para os criminosos. Ele disse que se alguém tem intenção de fazer algum mal para ele ou sua família que se prepare, pois as coisas vão piorar. Ele vai até o inferno contra esses bandidos. “Oh bandidinho das pedras, pegue senha na fila. O bicho vai pegar para o teu lado”, disse o delegado.

Confira o vídeo:


Ameaças
Fernando Francischini disse que nos últimos dias tem recebido muitas ameaças de morte e revoltas contra a sua família, sem contar, em ameaças de delações falsas que fariam contra ele sobre a CPI da Petrobras e da JBS. O motivo desses ataques, segundo o deputado, é um vídeo que ele gravou recentemente falando sobre o julgamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Nesse outro vídeo, Francischini vê um absurdo nos ataques feitos aos desembargadores do Tribunal Regional Federal (TRF-4) que irão julgar Lula, no dia 24 de janeiro. De acordo com ele, estão sendo implantadas medidas de segurança  para que juízes não sejam intimidados e pressionados por militantes petistas.

Conforme os dizeres do delegado, são várias ameaças por redes sociais que incluem, agressões físicas e invasão no prédio do tribunal.

 

 

Via: blastingnews