Denúncias da Folha não abalam candidatura de Bolsonaro e Haddad segue o mais rejeitado

Levantamento mostrou que polêmica matéria da Folha de São Paulo teve efeito nulo sobre o candidato do PSL.

A BGT Pactual divulgou na manhã desta segunda-feira (22) mais uma pesquisa de intenção de votos para o segundo turno na corrida presidencial e os números revelaram que a candidatura de Jair Bolsonaro não sofreu qualquer abalo após a matéria da Folha de São Paulo, a qual acusa o candidato do PSL de propaganda irregular por meio de disparo de mensagens do WhatsApp e caixa 2. Curiosamente, todo esse turbilhão político dos últimos dias provocado pelo jornal parece ter respingado em seu adversário, Fernando Haddad, que ainda segue como sendo o candidato mais rejeitado. 

De acordo com os números, o capitão reformado do Exército agora aparece com 60% das intenções de votos válidos, um ponto a mais que na pesquisa anterior, quando tinha 59.

Já o petista aparece com 40%, um a menos que no levantamento anterior. A pesquisa ouviu mil eleitores e a margem de erro é de 2% para mais ou para menos. Considerando os votos totais, quando são também contabilizados os brancos e nulos, Bolsonaro tem 51% das intenções  contra 35% de Haddad. Eleitores que afirmaram que irão anular o voto ou votar em branco somam 5% e 4% não souberam responder ao questionamento.

Os percentuais são semelhantes também aos das últimas pesquisas feitas pelo Ibope e também pelo Datafolha. Aliás, parte da pesquisa feita pelo Datafolha foi feita no mesmo dia em que a polêmica matéria jornalística foi publicada.

Os eleitores voltarão às urnas no próximo domingo (28), para escolherem o novo presidente e também os governadores em alguns estados.

Matéria da Folha não mexeu com rejeição de Bolsonaro
Aparentemente, a matéria feita pela Folha de São Paulo, publicada na semana passada, não prejudicou o desempenho de Jair Bolsonaro diante de seu eleitor.

Ele segue sendo rejeitado por 38% dos entrevistados, enquanto que o petista tem um percentual maior, com 52% dos entrevistados afirmando que não votariam no ex-prefeito de São Paulo de jeito nenhum. Questionados sobre as razões do voto, 85% dos eleitores acreditam que Bolsonaro é a melhor opção, contra 75% de Haddad. Dos entrevistados, 10% responderam que votariam no candidato do PSL para impedir a vitória do candidato do PT, contra 18% que votariam em Haddad para evitar a vitória de Bolsonaro.

Confiança
A pesquisa também perguntou sobre quem o eleitor acredita que vencerá o segundo turno das Eleições. Dos entrevistados, 76% disseram que Jair Bolsonaro será o próximo presidente do Brasil, enquanto que 17% acreditam na vitória do candidato do PT, apoiado pelo ex-presidente Lula. Outros 7% não souberam responder ou não opinaram.

Via: Blastingnews

Compartilhe em Suas Redes Sociais