Desesperado, Michel Temer envia carta inesperada para Raquel Dodge; veja

Procuradora-geral da República recebeu carta do presidente sobre o inquérito que investiga membros do governo.

A procuradora-geral da República Raquel Dodge, causou ”nervoso” em #Michel Temer após pedir ao ministro Edson Fachin que inclua o presidente no inquérito sobre o Decreto dos Portos. Dodge solicitou que o presidente seja investigado no inquérito, afirmando que isso não iria contra a Lei. A procuradora citou que Temer pode ser investigado, porém não denunciado devido à proteção do foro privilegiado.

A notícia abalou os ânimos do Palácio do Planalto, Michel Temer terá que se dirigir no Banco Central para tirar extratos de sua conta devido às investigações. O presidente resolveu, nesta última quinta-feira, 8 de março, enviar uma carta inesperada à procuradora comentando sobre o caso.

Michel Temer deixou claro que não quer influenciar a decisão da procuradora. No entanto, a carta conta com artigos jurídicos de diversos especialistas que estão sendo contrários às investigações de Temer, levantando suspeita de que a pretensão de Temer é mudar a decisão de Dodge. O ponto que as investigações irão se basear será em fatores envolvendo Temer antes dele assumir a presidência da República, após o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff. Casos relacionados durante o seu mandato não deverão ser investigados.

Os artigos que Temer expôs na carta são do ministro da Justiça, Torquato Jardim. O objetivo de Michel Temer foi explicar seus argumentos jurídicos para Dodge após ter sido incluído no inquérito. Além do presidente, os ministros Eliseu Padilha e Moreira Franco também estão sendo investigados.

O Palácio do Planalto informou que encaminhou uma carta de caráter confidencial à procuradora. Temer acredita que não deveria ser alvo de investigações por fatos que ocorreram antes dele se tornar presidente.

Na carta, Temer afirma que sempre respeitará as convicções jurídicas de Dodge, mesmo não concordando com o fato dele estar no inquérito.

Raquel Dodge
A procuradora já se manifestou a respeito de diversas polêmicas na política. Além de incluir Temer no inquérito, a procuradora evidenciou que é a favor de prisões após condenação em segunda instância. Dodge deu uma recado claro ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado pelos desembargadores do Tribunal Regional Federal da 4ª região. O fato de ser a favor da prisões, colocará Lula mais perto das grades.

 

Raquel Dodge ainda deixou uma indireta para os advogados de defesa de Lula, ela afirmou que estão sendo feitas diversas tentativas para barrar Sérgio Moro de processos envolvendo Lula.

 

Via: blastingnews