Dilma não está bem da cabeça após derrota em Minas, diz jornalista de Brasília

A ex-presidente Dilma Rousseff apresentou um comportamento bastante estranho ao longo de seu governo. As declarações estapafúrdias se intensificaram diante da ameaça do processo do impeachment, quando a petista desandou a falar bobagens sobre a mandioca, teorias estranhas sobre uma tal de ‘mulher sapiens’ e até mesmo conjecturas sobre a possibilidade de estocar vento.

Não teve jeito. A petista pedaladora acabou tendo seu mandato cassado, após ter sido condenada pelo crime de responsabilidade fiscal no longo julgamento do processo do impeachment. Apesar de ter levado algumas peças do Acervo da Presidência para Porto Alegre e de ter supostamente burlado o INSS para se aposentar em tempo recorde, pessoas próximas confirmaram que Dilma teria ficado bastante abalada naqueles dias.

Desde então, a petista já torrou mais de R$ 1 milhão do contribuinte em viagens internacionais, acompanhada de pessoas íntimas, para denunciar que havia sido vítima de um golpe. A petista foi desmentida pelas autoridades brasileiras, que asseguraram que o processo do impeachment, previsto na Constituição, transcorreu inteiramente dentro da legalidade, acompanhado de perto por todas as instituições do país e que Dilma teve amplo direito à defesa. A petista também gastou muita saliva no exterior para tentar convencer os gringos de que o ex-presidente Lula é inocente e também foi vítima de uma segunda fase do golpe, quando foi preso injustamente, dizia a petista. Em outras palavras, Dilma viajou pelo mundo para propagar fake news e meter o pau no Brasil às custas do contribuinte.

Recentemente, Dilma foi alentada por um novo sopro de vida, quando surgiu a oportunidade de disputar uma vaga ao Senado pelo estado de Minas Gerais. Animada com as pesquisas de intenções de votos que a colocavam em primeiro lugar na disputa, Dilma torrou mais de R$ 4 milhões em sua campanha. Estava excitada com a possibilidade de poder voltar para Brasília, morar em um amplo apartamento funcional, receber quase R$ 40 mil como senadora e ainda poder usar a tribuna do Senado para fazer seus discursos sobre o tal do golpe, a mandioca, o armazenamento de vento e sabe-se lá o que mais. Não rolou. Apesar de ter transferido seu título para Minas, se mudado para o estado e feito dezenas de juras de amor aos mineiros, Dilma não conseguiu convencer seus conterrâneos. Apesar de figurar em primeiro lugar nas pesquisas durante quase toda a campanha, apesar de disputar uma das duas vagas ao senado pelo estado, a petista não conseguiu se eleger e acabou em quarto lugar na disputa.

Ao que tudo indica, a sequência de desventuras da petista tem afetado seu discernimento. Segundo o o jornalista Cláudio Humberto, o homem das notícias quentes do Diário do Poder, “Amigos da ex-presidente cassada Dilma (PT) andam preocupados com sua, digamos, mudança de comportamento desde a humilhante derrota do dia 7. Acham que o juízo que lhe restava pode ter evaporado”.

Com informações do Diário do Poder

Compartilhe em Suas Redes Sociais