Dirigentes do PT prevêem vida dura para Lula na cadeia com entrada de Moro na Justiça – News Atual
Connect with us

política

Dirigentes do PT prevêem vida dura para Lula na cadeia com entrada de Moro na Justiça

Cúpula do partido vê que o ex-presidente não terá vida fácil com o juiz comandando a pasta.

Conforme informou o painel da Folha de São Paulo, novas regras da Polícia Federal podem acabar complicando ainda mais a situação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O petista cumpre pena na Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba, por corrupção e lavagem de dinheiro na ação penal do triplex de Guarujá.

Além disso, terá até esta próxima segunda-feira (19) para fazer os últimos pedidos de diligências no processo do sítio de Atibaia, no qual foi interrogado pela juíza Gabriela Hardt, na quarta-feira (14).

Os dirigentes do partido trabalham com a hipótese de regras mais rígidas contra o seu líder impostas pela Polícia Federal que terá todo o apoio do novo ministro da Justiça, o juiz Sérgio Moro.

O magistrado aceitou o convite do presidente eleito Jair Bolsonaro e atuará nos Ministérios da Justiça e da Segurança Pública.

O prazo da juíza Gabriela Hardt, que substituiu temporariamente Moro na Lava Jato é que, até esta segunda (19), já sejam entregues os últimos pedidos para as diligências do processo do sítio.

Membros do PT acreditam que antes das festas de fim de ano, Hardt já proferirá uma sentença sobre esta ação penal. Segundo eles, ela está numa “marcha acelerada”.

Ação do sítio

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.

No processo do sítio, o Ministério Público Federal (MPF) acusa o ex-presidente de que a propriedade é dele e ela teria sido reformada com dinheiro de propina por intermédio das construtoras OAS e Odebrecht e Grupo Schahin, que pertence ao pecuarista, José Carlos Bumlai.

Lula nega todas as irregularidades e afirma que o sítio não é dele e sim do empresário Fernando Bittar.

Na quarta (19), o petista e a juíza Gabriela tiveram vários embates durante o interrogatório.

Lula quis saber quem era o dono do sítio e a magistrada respondeu que aquilo era ele quem deveria falar.

Em outro momento, a magistrada afirmou que se Lula se mantivesse agindo daquela forma, eles teriam problemas durante o depoimento.

Desembargador sob investigação

O ministro Humberto Martins, corregedor nacional de Justiça, pediu para que o Tribunal Regional Federal da 4º região (TRF-4) encaminhe ao CNJ (Conselho Nacional de Justiça) uma análise sobre a conduta do desembargador Rogério Favreto, que tentou tirar Lula da cadeia em julho deste ano.

Na época, o desembargador aproveitou seu plantão e atendeu um pedido de deputados do PT para livrar o condenado.

Moro reagiu e impediu que a Polícia Federal cumprisse ordem, já que Favreto não teria competência para tal fato.

Via: Blastingnews

Compartilhe em Suas Redes Sociais