Dodge e Mendes são acusados de sabotagem e general fala em ‘vergonha’

Jurista acusa procuradora-geral da República e ministro do Supremo de defenderem ‘mentira deslavada’.

Um tema polêmico causou revolta no general Paulo Chagas e no jurista Modesto Carvalhosa. Críticas pesadas foram feitas contra #Raquel Dodge e Gilmar Mendes em relação ao voto impresso.

A Associação dos Peritos Criminais Federais (APCF) se manifestou ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, favorável ao voto impresso já para este ano de 2018. De acordo com o presidente da instituição, Marcos Camargo, o sistema não deve ser unicamente digital já que qualquer falha nas urnas eletrônicas pode causar suspeitas no voto do eleitor. Com a impressão do recibo, existe uma segurança maior e a confiança das pessoas na Justiça Eleitoral aumentará.

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, e o ministro Gilmar Mendes são contrários ao voto impresso. Para Dodge, a impressão do voto caminha na contramão da garantia do anonimato do voto e o Brasil estaria regredindo agindo assim.

O jurista Modesto Carvalhosa concedeu uma entrevista ao Estadão e criticou duramente a procuradora-geral e o ministro. Segundo o jurista, o Brasil é o único país no mundo que possui uma apuração secreta. Não existe fiscalização, ficando nas mãos de alguns funcionários a apuração dos votos. Carvalhosa considerou isso um grave erro e fez acusações graves contra Dodge e Mendes.

 

Para Carvalhosa, Dodge está “mentindo deslavadamente” quando defende que o voto impresso acaba com o sigilo do eleitor. Ele também criticou a tentativa do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de implementar uma forma parcial do voto impresso nas próximas eleições.

Na visão do jurista, existe uma “sabotagem” de Gilmar Mendes para não colocar em prática a lei de 2015. Ele declara que existe uma conspiração entre Mendes e Dodge sobre esse assunto e algo deve ser feito urgentemente.

Segurança
Marcos Camargo, presidente da APCF, afirmou que a única forma de segurança nas Eleições é copiar dos outros países do mundo, onde o voto impresso é visto como essencial. Segundo o presidente, caso haja necessário alguma auditoria, o voto impresso dará maior segurança, já que as urnas eletrônicas podem ser corrompidas.

Nos dia 07 e 08 de maio, haverá uma rechecagem para ver pontos de vulnerabilidade das urnas. Peritos da PF [VIDEO] e um estudante da Unicamp testarão a segurança das urnas eletrônicas.

General
O general da brigada, Paulo Chagas, utilizou seu Facebook para criticar o posicionamento de Dodge sobre o assunto do voto impresso. Ele rebateu a procuradora e ressaltou que é preciso perguntar para ela o quanto vale para a PGR a confiança do povo no processo eleitoral.

O general escreveu com letras grandes a palavra “vergonha”. 

Via: blastingnews