Dono do MST pede que cuspam em faixa de Moro e ministra fala sobre ameaças

A situação política anda tensa e muitas ofensas tomam conta do País. Cármen Lúcia decidiu se manifestar.

A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármen Lúcia, ficou indignada com as ameaças que os ministros da Corte estão recebendo, principalmente depois das declarações de Edson Fachin. Ela se pronunciou sobre o caso e ressaltou que a Justiça não se intimida diante desses fatos.

As agressões, ofensas e ameaças tomam conta de um cenário pré-eleitoreiro. O povo brasileiro clama por Justiça e pede determinação e coragem dos ministros da Corte, porém, certas baixarias consomem o ímpeto de fanatismo de certos líderes, que deveriam levar a paz aos seus seguidores.

Ao discursar num palanque do ex-presidente Luiz Inácio #Lula da Silva, o dono do MST (Movimento Sem Terra) atiçou o ódio em seus apoiadores.

João Pedro Stédile disse para que os seguidores fossem até uma faixa que estava escrito o nome do juiz federal Sérgio Moro e que cuspissem nela “Ao saírem, cada um de vocês cuspa naquela faixa”, declarou.

Depois, afirmou que ninguém irá prender Lula. Stédile pediu para que os apoiadores pichem os muros e escrevam a seguinte frase: “Lula inocente, Lula presidente”, segundo o site O Antagonista.

Declarações da ministra
Cármen Lúcia concedeu uma entrevista rápida ao jornal ‘O Estado de São Paulo’ e afirmou que todas as tentativas de constrangimentos ao Judiciário não serão aceitas.

Conforme os dizeres da ministra, a Justiça não se intimida porque tem um papel constitucional a cumprir. Ela ressaltou que um juiz ameaçado precisa ter garantia de poder realizar o seu trabalho sem ninguém atrapalhar, se referindo ao episódio de Fachin.

Nas ruas está acontecendo um grande clima de revolta e criminosos podem estar se aproveitando desse fato para colocar em prática seus planos sórdidos. O clima de violência está marcando os debates políticas de ambos os lados. A caravana do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi atacada com ovos, pedras e até tiro contra dois ônibus foram realizados. Por outro lado, segurança do ex-presidente chegou a agredir um jornalista exigindo que ele entregasse algumas imagens.

Ministros nervosos
Os ministros da Corte, que deveriam passar tranquilidade e confiança para as pessoas, estão em pé de guerra. Eles brigam entre eles e demonstram que a Justiça está sendo interpretada de várias maneiras diferentes, sem contar as inúmeras acusações de politicagem dentro do STF.

O Brasil terá um ano de grande batalha, resta saber até onde vai o temperamento de cada um.

informações do site: blastingnews

Gostou? Compartilhe!
  • 5.3K
  •  
  •  
  •  
  •  
    5.3K
    Shares