Durante entrevista à Fox News, Trump fala de acordo com Bolsonaro e diz: “temos 267 bilhões esperando.” – News Atual
Connect with us

Jair Bolsonaro

Durante entrevista à Fox News, Trump fala de acordo com Bolsonaro e diz: “temos 267 bilhões esperando.”

Em sua última entrevista concedida à apresentadora Laura Ingraham, do canal Fox News, Donald Trump voltou a comentar sobre o presidente eleito Jair Bolsonaro e o que esperar sobre a parceria, de agora em diante, com o governo brasileiro. Na ocasião, Trump comentou que “teve uma ótima conversa” com o presidente Bolsonaro e que pode ver um acordo entre os dois acontecendo. Trump também comentou que o Brasil nos últimos anos “tem sido difícil” por conta das dificuldades que o governo do PT impôs aos produtos americanos através de “gigantescas tarifas”, deixando claro que não estava satisfeito com a situação comercial entre os dois países, sinalizando que espera menos dificuldades imposta pelo Brasil às importações dos produtos americanos.

A confiança de Trump em fechar um acordo com o Brasil fica evidente quando ele fala sobre a China, emendando que eles vão perder na disputa econômica. Diz ele:

A China está deteriorando nosso país economicamente… e você vê que vamos ganhar essa.

Em seguida, a apresentadora pergunta “o quão confiante está a respeito” do acordo com o Brasil, arrancando do presidente americano um “poderíamos fechar um acordo agora, mas acho que não estão prontos ainda.”. Trump, no entanto, mostrando toda sua experiência de negociador adquirida em sua época de empresário, adiantou que tem “267 bilhões de dólares esperando” caso seja fechado o negócio, sinalizando que deseja realmente cumprir com o que disse no dia da vitória de Bolsonaro, após lhe telefonar, afirmando que quer firmar uma grande parceria entre os dois países.

A política externa de Bolsonaro

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.

Uma das principais égides do governo Bolsonaro deve ser sua política externa, que deve  adotar uma política de proximidade com as grandes nações democráticas do mundo, como os EUA e Israel, além de fazer comércio com o mundo todo, como tantas vezes repetiu em sua vitoriosa campanha. Durante o governo do PT, o Brasil foi reduzido ao nanismo diplomático, se aproximando das piores ditaduras do mundo, e sendo transformado numa espécie de Papai Noel de ditadores: serviu de financiador e acobertador de várias ditaduras, como Cuba e Venezuela, lhes distribuindo lisonjas e garantindo, a despeito de fatos e argumentos, que eram verdadeiras democracias. Além disso, protegeu terroristas internacionais, como o italiano Casare Battisti, que se encontra foragido no Brasil, e se fechou economicamente em blocos econômicos que têm como critério seletivo a ideologia bolivariana e não puramente os interesses comerciais, como é o caso da MERCOSUL.

Com o apoio da sua equipe de ministros, Bolsonaro pretender dar cabo às desastrosas políticas adotadas nas relações internacionais, trazendo o Brasil de volta ao centro das relações democráticas e recuperando o antigo prestígio perdido durante os anos de domínio da esquerda no país. Uma de suas primeiras medidas deve ser um acordo com o presidente dos EUA, Donald Trump, que pretende vencer a disputa econômica com a China, e encontrar um grande parceiro econômico para ajudar a desbancar o país asiático. Ao que todos os fatos apontam, Trump está com os olhos voltados para o Brasil, esperando ansiosamente pela posse do novo presidente brasileiro.

 

Fonte: http://analiseinversa.com/

Compartilhe em Suas Redes Sociais