É hoje: Lula admite que errou, mas diz ser mais honesto que Sérgio Moro

Ex-presidente diz que não existe magistrado mais honesto do que ele nesse Brasil.
“Eu duvido que nesse país exista um magistrado mais honesto do que eu”, disse o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que vai ser julgado nesta quarta-feira (24), no Tribunal Regional Federal da 4ª Região. O petista será julgado por quatro desembargadores, em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul.

Apesar de comentar que errou, Lula diz ser mais honesto que todos os juízes do Brasil, inclusive o próprio Sérgio Moro, que decretou uma pena de 9 anos e 6 meses de cadeia para o líder do PT em sua condenação no caso tríplex do Guarujá (SP). Lula, de acordo com a sentença, foi corrompido com 2,2 milhões de reais pela construtora OAS, que em troca assinou contrato com a Petrobras.

‘Meus rivais têm medo que eu dispute as eleições desse ano’, diz Lula
O líder petista afirmou que os seus adversários têm medo de que ele saia ileso do julgamento desta quarta. Lula conta que o que fez nos anos de 2003 até 2010 deixou um legado para essa geração e, por isso, os políticos da direita política brasileira temem que ele dispute as eleições. 

“Se for medo, é bom, porque eles não têm medo de coisas ruins que nós fizemos”, disse. Lula contou que o medo dos adversários de que ele possa disputar nas eleições de 2018 reflete o fato de que ele fez um bom governo, apesar de que, em dois momentos de sua fala, o próprio ex-presidente admitiu que existiram alguns erros relacionados à administração sua e do PT. “Porque somos seres humanos”, afirmou o petista.

O que acontecerá com Lula se ele for condenado no TRF4?
Se for condenado nesta quarta-feira pelos desembargadores Leandro Paulsen, Victor Laus e João Pedro Gebran Neto, da 8ª Turma do TRF4, Lula pode perde os direitos políticos e ficar inelegível, ou seja, não poderá concorrer às eleições de 2018.

Além disso, há a possibilidade de os desembargadores decretarem que o petista seja preso, caso os magistrados sigam a sentença dada por Sérgio Moro.

Em seu último ato público contra a sua condenação, nessa terça-feira, (23), em Porto Alegre, Lula disse que dorme o sono dos inocentes e tem plena consciência de que não cometeu crime algum contra o erário. Além disso, o ex-presidente afirmou que está falando com a “tranquilidade dos inocentes que não cometeram crime.”

Após criticar a elite brasileira, Lula passou a atacar, principalmente, a imprensa nacional. O petista disse que sente pena dos jornalistas que sofrem de ‘‘complexo de vira-lata’’ por, de acordo com o ex-presidente, estarem sempre aceitando tudo que a elite do Brasil impõe.

O julgamento começa a partir das 8h30 da manhã desta quarta e provavelmente seja encerrado no período da tarde ou noite.

Via: blastingnews

     

Gostou? Compartilhe!

  • 4.2K
    Shares