Em ação minuciosa, Sérgio Moro ‘desafia’ Judiciário com ‘segredos’ de Palocci

Juiz paranaense quer que a Operação Lava Jato chegue a todos, pois a Lei não deve diferenciar ninguém.

Em um evento nos Estados Unidos, nesta segunda-feira (16), o juiz federal Sérgio Moro deu um discurso forte e defendeu com todas as garras o fim do foro privilegiado. As palavras do juiz se juntaram com uma negociação sigilosa que poderia estremecer membros do Judiciário: a delação de Antonio Palocci.

No seu discurso numa palestra na Universidade de Harvard sobre crimes de colarinho branco, Sérgio Moro deixou claro que a democracia não está em risco no país. Segundo ele, o que está acontecendo, na verdade, é uma luta pelo Estado de Direito.

Questionado sobre o instituto do foro privilegiado, mecanismo que protege políticos e magistrados, Moro defendeu o fim desse foro especial, inclusive para juízes.

Ele não aceita que membros do Judiciário tenham esse benefício, ainda mais agora, que uma “delação explosiva” pode ser fechada com a PF. Ele ainda sugeriu a criação de uma emenda constitucional para acabar com essa ferramenta, que para ele, nada mais é, que um escudo contra a aplicação das Leis. Moro foi aplaudido por todos.

No dia 2 de maio, o assunto voltará a ser debatido no Supremo Tribunal Federal. O juiz Sérgio Moro sabe que a Operação Lava Jato só vai conseguir chegar nos protegidos pelo foro especial se essa ferramenta for extinta. É ai que aparece a delação do ex-ministro Antonio Palocci.

Delação tenebrosa
A Polícia Federal (PF) negocia em sigilo com o ex-ministro do governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, um acordo de colaboração que pode complicar muita gente.

Conforme as informações da Folha de São Paulo, Palocci tem cerca de 20 anexos preparados para mostrar aos investigadores.

Ele afirmou aos agentes que entregaria clientes poderosos de sua empresa de consultoria, que foram beneficiados nos contratos com a Petrobras em troca de propina milionária entregue ao PT.

Um dos pontos que Palocci gostaria de entrar, mas não pode, é delatar membros do Judiciário que estariam envolvidos nesses escândalos. Como eles têm foro privilegiado, o ex-ministro está impedido de citar o nome dos integrantes.

O discurso de Sérgio Moro em defender o fim desse foro especial já seria uma antecipação dos segredos que Palocci traria escondido e que queria “jogar para fora”. Tudo em nome de amenizar a sua pena. Juízes de tribunais superiores poderiam ser o alvo de Palocci.

Transparência
No evento, Sérgio Moro também defendeu que em todos os fatos deve haver transparência. Dessa forma, se evitaria o risco de influência política no Judiciário. Moro alertou que toda mudança tem benefícios e eventos colaterais, mas é a única forma de se buscar um objetivo. 

Via: blastingnews

     

Gostou? Compartilhe!

  • 11.4K
    Shares
 

     

Siga-nos no Twitter!