Em dia de encontro de Pertence e Cármen Lúcia, TRF-4 pode surpreender Lula

Desembargadores se reúnem sobre tramitação dos recursos do ex-presidente.

Nesta quarta-feira (14), dois eventos chamam a atenção sobre o futuro da Justiça no país. Cármen Lúcia, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), está reunida com o advogado do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o ex-ministro e presidente da Corte, Sepúlveda Pertence. Os dois conversarão sobre a prisão de Lula. Paralelo a esse encontro, os desembargadores do Tribunal Regional Federal da 4a. Região (TRF-4) também estão reunidos em Porto Alegre em sessão que pode dar um desfecho sobre a tramitação dos processos do petista.

A data 26 de março foi cogitada como o dia D da prisão de Lula, pois o desembargador Victor Laus estaria de volta de suas férias e toda a equipe completa daria o desfecho do processo.

Porém, um juiz auxiliar foi convocado para cobrir os trabalhos de Laus. Dessa forma, com o quadro preenchido, a decisão poderá ser tomada a partir de hoje.

Caso o TRF-4 vote o caso de Lula e provoque o seu pedido de prisão, uma permissão será enviada ao juiz federal Sérgio Moro e o magistrado estará pronto para se decidir pela execução provisória da pena do petista.

Pressão
A ministra Cármen Lúcia, pressionada por todos os lados, já avisou que não irá se submeter a qualquer tipo de intimidação e já decidiu que não irá colocar na pauta da corte um possível novo entendimento sobre o cumprimento da prisão após a condenação em segunda instância.

Mesmo assim, Sepúlveda Pertence quer ver a ministra e tentar uma última chance de mudar sua opinião. O advogado quer discutir com ela sobre o habeas corpus de Lula impedindo assim uma possível prisão do cliente.

Na semana passada, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) já havia rejeitado um habeas corpus do ex-presidente e na Corte Máxima, existe um jogo de empurra empurra para ver quem terá coragem de beneficiar Lula, ainda mais agora em que o STF é o centro de todas as atenções dos brasileiros. Qualquer decisão errada poderá manchar a imagem da Corte.

Embora o TRF-4 esteja reunido, a decisão da prisão de Lula pode acontecer só daqui em duas semanas.

Futuro do petista
O ministro Celso de Mello, decano da Corte, é o único, até agora, que ainda não se pronunciou se vai ou não enfrentar Cármen Lúcia. Conforme as informações do site “O Antagonista”, ele pode ajudar Lula a não ser preso e ainda a “escapar” da Lei da Ficha Limpa.

Todos os olhos estão voltados para uma possível ajuda de Celso de Mello ao petista, mas os olhos também se voltam a uma rápida decisão do TRF-4.

Via: blastingnews

     

Gostou? Compartilhe!

  • 2.3K
    Shares