Em jogada brilhante, Bolsonaro destrói chances de impunidade da ORCRIM

O PEN, novo partido de Bolsonaro, havia movido uma ação no STF para impedir a prisão dos condenados em segunda instância.
A ação, que é coordenada por Kakay, amigo de José Dirceu, contava com o voto favorável da maioria dos ministros, porque Gilmar Mendes resolveu bandear para o lado de lá.
Logo que chegou ao partido, Jair Bolsonaro resolveu agir imediatamente em favor da justiça e da Lava jato e exigiu a retirada imediata da ação por parte do PEN.

O presidente do partido, de fato, disse que pretende acolher o pedido de Bolsonaro:

“Os presidentes estaduais do PEN não vieram do país todo para discordar de você, presidente. Vou chamá-lo de presidente porque estamos aqui para ajudar a fazê-lo presidente. Lutei pela Justiça e estou pronto para retirar a ação se os advogados do presidente acharem necessário”.

A atitude de Bolsonaro é tão brilhante, que se a ação fosse julgada, Lula certamente se livraria da cadeia.

Por sinal, o PEN passará a se chamar PATRIOTA.

Via papotv.com.br