Em novo delírio, Gleisi garante que Lula será eleito com sítio, triplex e milhões em contas na Suíça

Eleita no último final de semana presidente do PT, a senadora Gleisi Helena Hoffmann (PT-PR), ré no Supremo Tribunal Federal (STF) por corrupção e outros crimes e figurando nas planilhas de propina da Odebrecht sob o sugestivo codinome “Amante”, afirmou que o partido tem como plano trabalhar ativamente na candidatura de Lula à Presidência da República. Em entrevista ao programa Gaúcha Atualidade, na manhã de segunda-feira (5), Gleisi disse que o ex-presidente está sendo criminalizado injustamente e que não há provas concretas contra ele.

“Quanto mais tentam enfraquecer o Lula, mais ele cresce nas pesquisas. Lula teve que fazer alianças para poder governar, mas ele foi o único que trabalhou pelos pobres, e é isso que as pessoas veem (…). Não tem nenhuma prova contra ele, as pessoas sabem que ele não é (culpado) e ficam tentando fazer uma tese para incriminá-lo — afirmou. Numa referência ao pouco caso que o PT faz das denúncias de lavagem de dinheiro, sítio de Atibaia, triplex do Guarujá e milhões em contas secretas na Suíça”, disse a petista em mais um dos seus recorrentes devaneios.

Questionada sobre a quantidade de membros do partido investigados na Operação Lava-Jato, assim como sobre o fato de ela ser ré em uma das ações penais, Gleisi defendeu que “há excessos”, assim como “muita manipulação e perseguição” nas investigações: “Não estou falando que o PT não cometeu nenhum erro. O erro foi entrar no financiamento privado de campanha, mas isso era do jogo. Todo sistema era assim. Não termos enfrentado isso antes foi uma falha. Agora o Brasil tem que enfrentar isso, tem que colocar limites nos gastos eleitorais para não eleger só quem é rico”, declarou a senadora, como se a regra do jogo não tivesse sido inventada pelo seu partido, que acertadamente já foi comparado a uma organização criminosa.

Sobre a sua situação com a Justiça, a senadora afirmou que não está “condenada”, mas apenas sendo investigada em um processo “que tem uma série de falhas”. “Eu tenho minha defesa pronta. Era só o que faltava as pessoas serem condenadas por antecipação, principalmente em um processo como esse, que tem um forte viés político”, afirmou a petista, que finge desconhecer que é ré por corrupção, não investigada pelo Supremo.

A senadora foi além em seu destampatório e afirmou que o principal desafio do PT neste momento é estar ao lado do povo brasileiro para lutar contra as reformas propostas pelo governo Temer. “Não queremos a reforma da previdência porque tira os direitos das mulheres, dos agricultores. Assim como não queremos a trabalhista, feita para que as pessoas tenham seus direitos básicos retirados”, disse Gleisi, que é obrigada a condenar as necessárias reformas (trabalhista e previdenciária), pois do contrário estaria admitindo a lambança do seu partido na economia nacional. (Ucho.Info) E (cesar weis)