‘Essa imprensa é uma vergonha’, diz Bolsonaro sobre jornalistas que ‘leem pensamentos’

Nesta manhã, ao sair do palácio do Alvorada, o presidente Jair Bolsonaro conversou com cidadãos e também falou a jornalistas. Bolsonaro disse que vai conversar com o ministro Paulo Guedes nesta tarde e acredita que há uma brecha para aumentar o salário mínimo.

Bolsonaro disse que a economia está se recuperando, mas se pararmos as reformas, podemos perder o que conseguimos até agora. O presidente afirmou que o Congresso está muito consciente da necessidade das reformas tributária e administrativa e que, se o Governo enviar uma boa proposta, há chances de aprová-la sem muito atrito.

O presidente foi questionado sobre a indicação do filme de Petra Costa ao Oscar e disse: “é ficção. Para quem gosta do que o urubu come, é um bom filme”. Questionado se assistiu ao filme, Bolsonaro disse: “eu vou perder tempo com uma porcaria dessas?”.

Os repórteres perguntaram sobre um suposto subsídio de energia elétrica a igrejas, e Bolsonaro questionou por que o atacam se ele não assinou nenhum decreto nem expressou qualquer opinião a respeito. O presidente ironizou, dizendo: “tem uma colega de vocês que fez um livro, que leu meu pensamento. Não preciso falar com vocês. É só escrever o que vocês acharem”.

Questionado sobre o livro, Bolsonaro disse: “é um livro fake news, livro mentiroso – não vou falar sobre isso aí. Outra pergunta aí”.

Pelas redes sociais, Bolsonaro ironizou o livro que diz que ele “pensou em demitir” ministros. O presidente disse: “Essa imprensa é uma vergonha. Lê meus pensamentos e ministros se convencem a não demitirem a si próprios”, acrescentando risadas.

Veja o Vídeo.