Evangélicos podem definir a eleição em um só turno, com anúncio oficial marcado para o dia 1º de outubro

Cientistas políticos entendem que o candidato que conseguir alcançar 35% dos votos tem grandes possibilidades de definir a eleição presidencial em um só turno.

Nesse sentido, vale destacar o que disse o professor Lucio Rennó da Universidade de Brasília (UNB), cientista político respeitabilíssimo, experiente pesquisador, diretor do Centro de Pesquisa e Programa de Pós-Graduação nas Américas e Professor Assistente do Centro de Estudos Latino-Americanos da Universidade do Arizona nos Estados Unidos.

Para Rennó, a abstenção, que chegou a quase 30% nas últimas eleições, pode ser um fator decisivo.

“Ela ocorre principalmente em estados com a renda média familiar per capita baixa. Isso tem correlação alta de voto nos estados com o PT. Esse é outro elemento que nenhuma pesquisa está captando e que numa eleição tão apertada pode dar surpresa na hora da apuração. É difícil prever a abstenção. E não é trivial o efeito. Se sobe mais, com 35% dos votos totais um candidato pode se eleger no 1º turno.”

Há quem diga que Bolsonaro já ultrapassou os 35 pontos percentuais, que sua votação irá desmoralizar o Ibope e o Datafolha e que o pleito será decidido com facilidade no 1º turno.

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.

Porém, admitindo que as pesquisas estão corretas, Bolsonaro tem hoje em torno de 30 pontos percentuais.

Na segunda-feira, dia 1º de outubro, o setor mais importante e numeroso da igreja Assembleia de Deus deve anunciar apoio oficial ao candidato.

São em torno de 22,5 milhões de fiéis.

Estima-se que em torno de 80% dos fiéis deve seguir a orientação eleitoral da cúpula da igreja.

Podem estar ai os 5 pontos que Bolsonaro necessita para vencer a eleição já no dia 7 de outubro.

 

Via: Jornal da Cidade Online

Compartilhe em Suas Redes Sociais