EXÉRCITO COMEÇA OPERAÇÃO “LIMPEZA TOTAL” E BANDIDOS DO RIO MIGRAM. DIREITOS HUMANOS CONSIDERAM INTERVENÇÃO INADEQUADA


O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro e o exército brasileiro deflagraram hoje a operação limpeza total para cumprir 92 mandados

 

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro e o exército brasileiro com 102 soltados deflagraram hoje a operação “limpeza total” para cumprir 92 mandados de busca e apreensão e de prisão contra uma quadrilha que conta com mais de 100 integrantes no sul fluminense.

O grupo, acusado de tráfico de drogas e crimes conexos, também aliciou menores de idade para participar dos delitos. A operação prevê a responsabilização de dez adolescentes na Vara da Infância e Juventude.Para dar conta do número de criminosos, sete denúncias foram apresentadas à 2ª Vara Criminal de Resende, sendo uma delas perante a Auditoria Militar.

Ao todo, 22 equipes da coordenadoria de Segurança e Inteligência do MP-RJ foram à região.Segundo o MP-RJ, a organização criminosa agia como uma empresa formal, com ramificações em outras cidades da região e em municípios do estado de São Paulo. A quadrilha tinha ligações com facções criminosas do Rio de Janeiro e com o Primeiro Comando da Capital (PCC), de São Paulo, e estabeleceu uma célula formal desses grupos no sul do estado do Rio de Janeiro.

Terceiro pelotão das forças armadas entraram com grandes blindados nas favelas da Rocinha e do Alemão respectivamente nesta tarde, alguns criminosos foram abatidos e ouve troca de tiros; quatro suspeitos armados foram encaminhados para o hospital regional. Francisco Marques da procuradoria dos direitos humanos considerou a operação inadequada “não se combate a violência com violência!” afirma o procurador. Ao todo onze homens foram presos.

 

Fonte: hojenoticias