Fato não esclarecido faz PF levantar suspeitas na casa de praia de Gleisi

Agentes da Polícia Federal colocam em inquérito ‘novidade’ envolvendo apartamento na praia de Gleisi Hoffmann e Paulo Bernardo.

A senadora petista Gleisi Hoffmann, atual presidente do Partido dos Trabalhadores, sempre muito polêmica, foi apontada como participante de esquemas de corrupção em investigações feitas pela Polícia Federal. Gleisi está sendo investigada por caixa dois eleitoral e, segundo a revista Crusoé, se tornou a ”estrela” da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF).

A PF apontou que Gleisi recebeu R$ 5,3 milhões em propina mediante caixa dois eleitoral em período de campanha. Um relatório de 165 páginas da Polícia coloca Gleisi em evidência na investigação sobre desvios de recursos do Ministério do Planejamento, época em que seu marido, Paulo Bernardo, assumia a pasta.

Nas frentes de investigação, a Operação Lava Jato apontou quatro pontos em que Gleisi conseguiu dinheiro de forma ilícita, sendo eles: contratos firmados com a Petrobras, envolvimento ilícito com a Odebrecht e o novo inquérito aponta as empresas Consist e TAM Linhas Aéreas no caso.

Uma das novidades no inquérito envolve a Consist e um apartamento. O escritório fazia diversos trâmites para a senadora. O advogado Guilherme Gonçalves pagava despesas de Gleisi e do marido. Em um ponto relevante descoberto pela PF, um funcionário do escritório perguntou para Guilherme o que iria fazer com um cheque no valor de R$ 4.400,00 destinado a Gleisi. O advogado declarou que aquilo serviria para cobrir despesas relacionadas a impostos ou registro imobiliário de um apartamento que Gleisi comprou no Paraná, na região praiana de Matinhos.

O apartamento se torna a bola da vez, Gleisi não teria declarado o imóvel para a Receita Federal. Em investigação feita por jornalistas foi possível descobrir a localidade do imóvel e o valor de compra. Gleisi e Paulo Bernado pagaram R$ 220 mil no apartamento, sendo que R$ 200 mil foram pagos à vista. O imóvel fica a 110 km de Curitiba, em Balneário Flórida, bem de frente com a praia.

Em nenhuma das eleições Gleisi incluiu o apartamento na lista de seus bens, mostrando que há algo encoberto por trás da compra do imóvel.

Atualmente, a Justiça registrou um bloqueio ao apartamento devido as investigações envolvendo Paulo Bernardo na primeira instância e a empresa Consist. Gleisi é apontada como beneficiária no esquema ilegal.

A assessoria da senadora foi questionada sobre o fato e respondeu que Gleisi presta contas regularmente para Receita Federal, não havendo nenhuma omissão em suas declarações.

 

Via: blastingnews

     

Gostou? Compartilhe!

  • 6.9K
    Shares