General deixa claro que intervenção militar depende do povo e do STF

No artigo do Eminente General Luiz Eduardo Rocha Paiva, no Estadão, fica claro que o recado, que mais parece um míssil, tem como alvo a classe política, mas principalmente o STF.

Leia o que ele diz:

“Pela credibilidade da presidente do STF e da maioria dos ministros, a Alta Corte tem autoridade moral tanto para dissuadir essas manobras insidiosas quanto para encontrar caminhos legais e legítimos que permitam acelerar os processos das operações de limpeza moral, como a citada Lava Jato. Não fossem o foro especial e os meandros de uma Justiça lenta e leniente, o País já teria avançado muito mais em sua higienização política.”
E mais:

“Na verdade, só o STF e a sociedade conseguirão deter o agravamento da crise atual, que, em médio prazo, poderá levar as Forças Armadas a tomarem atitudes indesejadas, mas pleiteadas por significativa parcela da população.”

Ou seja, a intervenção vai acontecer se o povo cumprir o seu papel e o STF deixar de cumprir o dele.

Acho que estamos salvos.

 

Via: papotv.com.br

     

Gostou? Compartilhe!

  • 879
    Shares