Gilmar Mendes tenta impedir voto impresso nas eleições de 2018


Segundo o Estadão, o presidente do TSE, ministro Gilmar Mendes, tem se esforçado para adiar ou até mesmo barrar o voto impresso. O assunto está sendo deliberado com Rodrigo Maia (DEM-RJ), e outras lideranças partidárias.
A justificativa é a de que a impressão do voto nas urnas eletrônicas em todo o País deverá custar R$ 2,5 bilhões aos cofres públicos nos próximos dez anos, segundo projeção do TSE.

Ministros da Corte Eleitoral “acreditam que a reprodução do voto em papel vai provocar uma série de transtornos a partir do ano que vem, como aumento nas filas e no número de equipamentos com defeitos”.

O voto impresso foi proposto por Jair Bolsonaro e sancionado pela então presidente Dilma Rousseff.

Sem a implementação do dispositivo, a chance do Brasil se livrar dos principais corruptos é igual a zero.

Via PAPOTV