Globo tenta criar polêmica sobre Witzel e toma invertida de Sergio Moro “não sou assessor do governador”

Sergio Moro precisou cortar uma tentativa de ‘saia justa’ durante a entrevista para o Fantástico.

O assunto pautado foram as recentes declarações do governador eleito no Rio de Janeiro Wilson Witzel, que afirmou trabalhar para o abate de criminosos portando fuzis em público.

Sergio Moro calmamente respondeu “Não me parece razoável que o policial tenha que esperar o criminoso atirar nele com uma metralhadora ou com um fuzil antes que ele possa tomar qualquer providência. Eu tenho minhas dúvidas se isso já não é acobertado pela legislação. Mas nós vamos estudar se é necessário uma reformulação da lei nesse sentido. Eu não tenho condições de agora efetuar uma crítica apropriada porque eu não sei exatamente o que ele tá defendendo.”

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.

Porém, a apresentadora, Poliana Abritta, persistiu, e afirmou que a proposta de Witzel vai além e abrange a compra de drones que possam atirar em criminosos que estejam portando fuzis, para o que Sergio Moro, novamente calmo, respondeu “Aí teria que sentar com ele, conversar pra entender o nível de concreção dessa proposta. Se tá numa situação de confronto policial, com risco ao policial, de ser alvejado num confronto, eventualmente.”

Houve então, uma terceira tentativa, mas Moro de maneira amigável declarou “eu não sou assessor do governador…” e continuou “São declarações que ele deu em entrevistas e tal, isso tem que ser conversado com mais cautela e ponderação pra saber em concreto o que se pretende.”

Informações do G1.

Compartilhe em Suas Redes Sociais