Haddad não vai visitar Lula na cadeia, mas envia ‘subordinado’ em seu nome

O candidato tenta a estratégia de não vincular sua candidatura ao ex-presidente Lula, como fez no primeiro turno, e enviou o tesoureiro do PT.
O candidato do PT à presidência da República, Fernando Haddad, decidiu evitar algumas idas à Superintendência da Polícia Federal, onde se encontra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O líder do PT foi condenado a 12 anos e 1 mês de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro em decorrência de supostos favorecimento de propina na ação penal envolvendo o triplex no Guarujá.

Mesmo evitando um breve contato com Lula, Haddad, no entanto, decidiu enviar um preposto num sinal de referência a Lula. Emidio de Souza, tesoureiro do PT, foi visitar o Lula na cadeia. Dessa forma, segundo detalhou o jornalista do UOL, Josias Souza, ainda existe uma certa correlação entre Lula e Haddad.

As mensagens seriam enviadas ao tesoureiro do partido, que depois repassaria para o candidato.

Um dos objetivos das frequentes visitas de Haddad em Curitiba era fazer com que houvesse uma rapidez na transferência de eleitores de Lula para ele. Entretanto, junto com essa transferência, a imagem do candidato acabou sendo manchada pela enorme rejeição do ex-presidente. Ainda mais diante de um adversário, o candidato do PSL, Jair Bolsonaro, que tem tido um discurso fervoroso de “anti-PT”.

Com um pé no Planalto
Na concepção do jornalista Josias, Bolsonaro já está com um pé no Planalto, e as pesquisas têm indicado isso. De acordo com ele, quando Bolsonaro colocar os dois pés, aí chegará a hora da cúpula do PT analisar todos os erros, da mesma forma que disseram e divulgaram que o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff foi golpe.

O PT pode perceber que a ideia de ligar Haddad a Lula foi um erro. Outro detalhe analisado pelo jornalista é que Lula não poderá frisar a retórica de que é um preso político, já que a maioria dos brasileiros não está apoiando essa ideia.

Nova pesquisa do Ibope
Nesta segunda-feira (15), saiu a nova pesquisa de intenção de votos para à presidência da República e mostrou que Bolsonaro está mesmo muito próximo da vitória. Nos votos válidos, Bolsonaro chegou a 59% da preferência dos eleitores e Haddad ficou com 41%.

Se for analisar os votos totais, ou seja, incluindo os brancos e nulos, os dados são o seguinte:

Jair Bolsonaro: 52%

Fernando Haddad: 37%

Em Branco/Nulo: 9%

Não sabe: 2%

No aspecto rejeição, os dados são os seguintes:

35% não votaria de jeito nenhum em Bolsonaro

47% não votaria de jeito nenhum em Haddad

O segundo turno está marcado para o dia 28 de outubro, um domingo.

Via: blastingnews

Compartilhe em Suas Redes Sociais