Investigação de tiroteio em Juiz de Fora pode chegar aos advogados de Adélio

O escritório do advogado Zanone de Oliveira Júnior, que defende Adélio Bispo de Oliveira, entrou no caso do tiroteio entre policiais civis, de Minas Gerais e de São Paulo, ocorrido na sexta-feira no hospital Monte Sinai, em Juiz de Fora.

Adélio foi o homem que esfaqueou Jair Bolsonaro na mesma cidade. 

No tiroteio que terminou com a morte de duas pessoas e a prisão de vários policiais, foram apreendidos cerca de 14 milhões de reais em notas falsas. 

Emissários do escritório estiveram no hospital para prestar assistência ao policial Jerônimo Leal e ao estelionatário Antônio Vilela, feridos no confronto.

Questionado por O Antagonista pelo telefone, Zanone apenas confirmou que estava no caso, mas não deu detalhes.

Essa história está ficando cada vez mais estranha. 

Fonte: PAPOTV

Compartilhe em Suas Redes Sociais