João Gebran Neto admite estratégia para evitar soltura de Lula

O desembargador do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), João Gebran Neto, admitiu, em conversa com amigos, que precisou usar artimanhas para evitar que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva fosse solto. Segundo ele, se isso acontecesse, a situação se transformaria em um dano maior. Conforme divulgado pela revista Veja, Gebran, que é relator da Lava Jato no TRF-4, ignorou a “letra fria da lei, que seria, no caso, normas inflexíveis da Constituição.

O desembargador acabou passando por cima de uma decisão do plantonista Rogério Favreto. Ele queria, a todo custo, Lula em liberdade. O fato aconteceu no dia 08 de julho e acabou causando uma grande confusão judicial. O delegado geral da Polícia Federal, Rogério Galloro, afirmou que quase obedeceu a ordem de Favreto. Porém, as ações do juiz federal Sérgio Moro, de Gebran Neto e do presidente do TRF-4, Carlos Thompson Flores, foram imprescindíveis para que Lula continuasse preso.

Segundo João Gebran Neto, a única forma de evitar possíveis problemas lá na frente, era passar por cima da decisão de Favreto. Para o desembargador, se Lula ganhasse o habeas corpus, lá na frente, isso seria revisto novamente por ele. Dessa forma, se evitou um tumulto nos processos. Gebran também falou que jamais consentiria uma decisão do plantonista contra um critério já estabelecido pelo colegiado da 8ª Turma.

Evento
Na última semana, o desembargador Gebran Neto e o juiz Sérgio Moro estiveram em um evento em Curitiba, que trata sobre doenças raras.

Gebran sempre se mostrou favorável às decisões de Moro e tem sido importante para que a Operação Lava Jato continue firme no combate à corrupção. Ele foi um dos três desembargadores que votou para o aumento da pena de Lula na condenação do triplex de Guarujá.

PT revoltado
O Partido dos Trabalhadores anda revoltado com a Justiça que não tem dado moleza para Lula. Dessa vez, eles pretendem acusar Moro, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, e o presidente do TRF-4 de abuso de poder. Os petistas não admitem que Lula fique na cadeia e não dispute as eleições. O ex-presidente acabou sendo impedido de participar de um debate da Band. Entretanto, seria errado ele estar lá, já que é alvo da Lei da Ficha Limpa. Lula é inelegível. O PT, porém, insiste em sua candidatura. Alguns membros do partido vêem equivocada essa estratégia de insistir com Lula.

Os dias vão passando e o tempo vai se tornando mais curto. Portanto, o PT pode se ver em situação complicadíssima nas eleições. Há quem diga que o partido pode até ser proibido de lançar qualquer outro candidato.

O ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, seria o plano B do partido. Por ora, resta aguardar as decisões do TRE sobre o caso de Lula. Além disso, uma nova sentença pode ser proferida em breve pelo juiz Sérgio Moro. Lula é alvo da ação penal do sítio de Atibaia. Ele é acusado de reformar a propriedade com dinheiro de propina. A defesa nega as irregularidades.

Fonte:NOTÍCIAS AO MINUTO

Compartilhe em Suas Redes Sociais