Joesley se revolta com votação: “Ficará marcado como o dia da vergonha”

“O dia 2 de agosto ficará marcado como o dia da vergonha”, disse Joesley Batista a um interlocutor ontem à tarde, quando o voto contra a continuidade das investigações já era maioria no placar da Câmara dos Deputados. Por meio de nota, o grupo J&F informou que não se manifestaria.

A denúncia de corrupção passiva contra o presidente Temer foi embasada por informações e gravações trazidas pela colaboração super premiada assinada pelos irmãos Batista e executivos do grupo com a Procuradoria-Geral da República (PGR).

Talvez Joesley tenha razão e o dia de ontem tenha sido mesmo vergonhoso. Mas quem é ele para dizer, sendo um criminoso confesso que conseguiu escapar de qualquer punição por meio de um acordo?

Via jornalivre.com