Juíza Carolina Lebbos endurece o jogo e frustra plano de prisão domiciliar para Lula

Na tentativa de dar sequência ao plano em andamento no sentido de conseguir a mudança de regime prisional para o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, requerendo ao Supremo Tribunal Federal (STF) a prisão domiciliar, os senadores membros da malfadada comissão de Direitos Humanos do Senado Federal acabam de ser impedidos pela juíza Carolina Lebbos, de efetuarem uma nova visita ao meliante petista.

Na tentativa de dar sequência ao plano em andamento no sentido de conseguir a mudança de regime prisional para o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, requerendo ao Supremo Tribunal Federal (STF) a prisão domiciliar, os senadores membros da malfadada comissão de Direitos Humanos do Senado Federal acabam de ser impedidos pela juíza Carolina Lebbos, de efetuarem uma nova visita ao meliante petista.

O claro objetivo do grupo de senadores seria o de promover uma encenação com relação às condições de Lula, aventando um estado depressivo ou algo semelhante.

Os senadores pediram para que as visitas acontecessem entre 11 e 13 de dezembro.

Em seu despacho, a magistrada justifica a decisão afirmando que o lugar em que Lula está preso já foi inspecionado por diversas comissões parlamentares, inclusive também compostas pelos senadores que solicitaram a nova visita: Regina Sousa (PT-PI), Fátima Bezerra (PT-RN), Vanessa Grazziotin (PCdoB-SC), Paulo Rocha (PT-PA), José Pimentel (PT-CE), Humberto Costa (PT-PE), Paulo Paim (PT-RS), Lindbergh Farias (PT-RJ), Gleisi Hoffmann (PT-SC), Jorge Viana (PT-AC), Roberto Requião (MDB-PR) e João Capiberibe (PSB-AP).

“Desde a data da prisão, em 7 de abril de 2018, três comissões de parlamentares já realizaram diligências no local de encarceramento do executado: em 17/04/2018 a Comissão de Direitos Humanos e Participação Legislativa do Senado Federal; em 29/05/2018 Comissão Externa da Câmara dos Deputados; em 17/07/2018 a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania do Senado Federal”, pontuou Carolina Lebbos.
Ela afirma ainda que o requerimento “causa estranheza” e não aponta motivos para a realização da visita.
Nenhum dos relatórios feitos nas visitas mostram “irregularidades efetivas”, cravou a magistrada.

Desta forma, os senadores, todos eles do PT e partidos agregados, não conseguirão fazer um novo relatório que dê suporte ao pedido de prisão domiciliar.

Assim, como todos eles estão em fim de mandato, tudo indica que o plano está frustrado definitivamente.

Fonte: Jornal da Cidade Online

Gostou? Compartilhe Com seus Amigos!