Jungmann não descarta uso das Forças Armadas se greve dos caminhoneiros não for suspensa

O governo terá um gabinete de crise para monitorar a paralisação dos caminheiros. O grupo será coordenado pelo ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann. Segundo ele, este gabinete está em alerta, recebendo informações continuamente,e uma eventual utilização das Forças Armadas ocorreria somente em “último caso”.

“Não temos tido maiores choques. Temos, efetivamente, bloqueios”, disse o ministro.

De acordo com o ministro, o emprego de força federal para conter a greve dos caminhoneiros não foi requisitada pelos estados, mas que a Polícia Rodoviária Federal (PRF) tem feito a escolta de caminhões-tanque até os aeroportos, para que possam abastecer aeronaves.

Jungmann participou da Conferência sobre Segurança Pública na Fundação Getulio Vargas (FGV), na capital paulista.

“O governo, evidentemente, monitora [a greve dos caminhoneiros] e temos informações praticamente hora a hora, produzidas pela Polícia Rodoviária Federal e área de inteligência.”

Com informações da Agência Brasil. e PAPOTV

     

Gostou? Compartilhe!