Lava-Jato: em novo delírio, Gleisi insiste em comparar corrupção de Lula com palestras de Deltan Dallagnol

O cinismo da presidente nacional do Partido dos Trabalhadores, senadora Gleisi Helena Hoffmann(PR), atingiu novo patamar. Fingindo que Lula é investigado por proferir palestras, a senadora paranaense afirma que não entende os “dois pesos e duas medidas”.

Deltan Dallagnol, procurador da República e coordenador da força-tarefa da Operação Lava-Jato em Curitiba, recebe cerca de R$ 30 mil por palestra (doa o dinheiro ao Hospital do Câncer), enquanto Lula, acusado de vários de crimes, ganha R$ 400 mil por palestras que ninguém viu e embolsa o dinheiro. As palestras de Dallagnol ganham ampla divulgação. As misteriosas palestras de Lula se parecem com típico caso de lavagem de dinheiro, algo que já foi confirmado por alguns delatores da Lava-Jato.

Gleisi, conhecida como “Coxa” e “Amante”, nas planilhas de propina das empreiteiras, escreveu artigo questionando, com cinismo jamais visto, as palestras do procurador da Lava-Jato.

“Em uma das investigações contra o ex-presidente Lula, o Ministério Público Federal o acusa de fazer palestras como forma de lavar dinheiro. A operação Lava Jato quebrou sigilo da LILS – Palestras, Eventos e Publicações, para constatar o que já havia sido divulgado pelo próprio ex-presidente(…) tudo foi feito de forma espetaculosa para criar a presunção de culpa de uma atividade exercida regularmente, na busca de atribuir-lhe alguma espécie de ilegalidade”.

A partir daí, Gleisi tenta estabelecer um paralelo inexistente entre Lula e Dallagnol. “De outra sorte, o coordenador da força-tarefa da Lava Jato e procurador do Ministério Público Federal Deltan Dallagnol recebeu R$ 219 mil apenas no ano de 2016, em 12 palestras feitas para falar da corrupção e da operação. Os valores percebidos neste ano de 2017 não foram informados”.

Diante do mais novo capítulo do Petrolão, o UCHO.INFO, que desde janeiro passado sabia das tais palestras, sugere que a hipocrisia seja deixada de lado. Lula, que tentou usar as palestras como desculpa para as propinas recebidas das empreiteiras investigadas na Lava-Jato, tentou recentemente selar parcerias com empresas especializadas em “vender” palestrantes. E o ex-presidente ouviu de todas as empresas um sonoro não. (Ucho.Info)e (cesarweis.com)