Lava Jato, finalmente, chegou no judiciário

A Folha de S. Paulo, neste (1) de maio, nos trouxe a revelação. “Os ministros do STJ (Superior Tribunal de Justiça) Humberto Martins, atual vice-presidente da corte, e Benedito Gonçalves foram citados nas negociações de delação premiada da OAS com procuradores da Lava Jato.”

Delação na qual já havia sido suspensa por um “vazamento” supostamente proposital. Na ocasião, a notícia de que o ministro Dias Toffoli havia sido mencionado por Leo Pinheiro foi divulgada pela revista Veja no sábado (20/8) que estampou reportagem na capa sobre o assunto. Em seguida, na segunda-feira (22/8), Janot informou a imprensa de que cancelaria as negociações com Leo Pinheiro para uma delação premiada.

Gilmar Mendes, na época, saiu ao ataque em relação postura adotada pelo Ministério Público Federal na condução da “lava jato”. Segundo o Conjur, ele disse que “tudo indica” que as informações não foram vazadas pela defesa do empresário e que é preciso esclarecer a atuação dos integrantes do MPF no caso. “Houve manifestações críticas dos procuradores. Isso já mostra uma atitude deletéria, a autoridade não reage com o fígado, não sai usando informações à sua disposição. Quem faz isso está abusando da autoridade”, criticou.

A informação divulgada hoje pela Folha, junto com as recentes atitudes do STF e principalmente de Gilmar Mendes corrobora, definitivamente, a informação de que a Lava Jato, finalmente chegou no judiciário.

Via papotv.com.br