Lula é surpreendido por autoridades da Suécia e defesa corre contra o tempo

O ex-presidente comprou aviões de caças suspeitos durante o governo de Dilmar Rousseff.

O ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva e seu filho caçula, Luiz Cláudio Lula da Silva, estão atrelados em investigações na Suécia. A situação do petista com a Justiça brasileira já não está nada fácil, e ao que tudo indica, Lula pode se prejudicar no exterior.

Na época do governo da petista Dilma Rousseff, Lula adquiriu aviões de caça vindos do país europeu. Em investigação da Lava Jato, na Operação Zelotes, o ex-presidente foi apontado como membro de uma quadrilha que agia no Carf. Na ação penal, Lula, seu filho, e outros nomes são acusados de crimes de lavagem de dinheiro, organização criminosa e tráfico de influência.

A compra de caças suecos para o Brasil levantou em uma investigação de nível internacional.

 

O juiz federal Vallisney Oliveira, da 10ª Vara Federal de Brasília, recebeu um pedido da Suécia para que fossem entregues importantes informações sobre o decorrer das investigações no Brasil. Autoridades europeias pediram detalhes sobre os crimes, como o prazo prescricional, confidencialidade do processo e envolvimento de todos os réus.

O premiê Kjell Stefan Löfven, foi indicado pelo petista como testemunha de defesa na ação. Agora, a Suécia tenta entender o envolvimento do premiê e analisa a situação que compromete o político brasileiro. O juiz Vallisney já mandou providenciar os documentos e afirmou que a defesa de Lula será responsável pela tradução.

O interrogatório do petista e seu filho foi remarcado diversas vezes na Justiça.

Desta vez, o juiz determinou que no mês de junho deste ano Lula e Luís Cláudio compareçam para serem interrogados.

Ex-presidente muito perto da prisão
Lula foi denunciado em diversas ações penais. O ex-presidente é acusado de crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. No mês de janeiro, os desembargadores do Tribunal Regional Federal da 4ª Região determinaram a condenação de Lula em 12 anos e um mês de cadeia.

A defesa do petista busca todos os recursos disponíveis na Justiça para salvar Lula. No Supremo Tribunal Federal (STF), a ministra Cármen Lúcia está sendo muito pressionada para colocar em pauta o habeas corpus impetrado pela defesa do petista.

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) também deu uma negativa para a defesa de Lula e negou o habeas corpus. Em tantas tentativas, agora é a vez do ministro Edson Fachin receber pedidos da defesa de Lula. O objetivo é que alguma autoridade da Justiça possa impedir a prisão do petista.

 

Informações do site: blastingnews

Gostou? Compartilhe!
  • 7.2K
  • 2
  •  
  •  
  •  
    7.2K
    Shares